1149

É difícil morrer

14/04/2008



Vejo o espírito do Sr. ... chegar andando com dificuldade usando uma espécie de andador.

Ele diz:

Filhos meus,

É difícil morrer. Ninguém quer deixar o corpo físico, por mais danificado que ele esteja, por maiores conhecimentos que se tenha, não queremos morrer, principalmente quando o conhecimento não é muito e a fé não é tão grande.

Mesmo nessas condições de não aceitar morrer, mas submetendo-me humildemente a Força Maior, aos desígnios de Deus, me vi amparado por muitos amigos que já nem me lembrava tê-los conhecido. Amigos desta vida e muitos de outras vidas.

É certo que a doença afeta profundamente a alma e nos torna lento e sofredor quando liberto do corpo deficiente. Todavia, quando tomamos ciência da intensa beleza da vida física e espiritual, quando somos recebidos do lado de cá tão efusivamente, esquecemos que tínhamos mêdo de morrer, pois vivemos plenamente, mais intensamente do que quando "vivos".

Filhos meus, ainda refaço-me das doenças físicas, psíquicas e morais, mas estou em melhores condições do que a maioria dos irmãos que aqui aportam, pois apesar da fé ainda vacilante, é suficiente para me manter desperto e desejoso de progredir.

Agradeço as lembranças que cultivais de nossa presença.

Filhos meus, cultivai a prece.

Buscai a renovação.

Perdoai sempre.

Abraços a todos que amamos.

Jesus está conosco.

Vosso pai, amigo, sogro, marido, irmão de todos.

GESJ – 20/02/2008 – Vitória, ES – Brasil




RETORNAR ÀS MENSAGENS E DIVULGAÇÕES
ENTRE EM CONTATO CONOSCO AGORA MESMO!
Todos os direitos reservados ao Grupo Espírita Servos de Jesus | 2017
FBrandão Agência Web