3805

Planetas que abrigarão exilados terrestres

05/11/2018



Como de hábito, concentramo-nos e logo após sai do corpo. Próxima a mim, sinto a presença do extraterrestre Ysh-Wam. A irradiar-se sobre nós, a luz e o brilho do Planeta Patrulha do Com.Yury. Sua possante força magnética suspende-nos no ar e voamos em direção ao espaço. Atravessamos a atmosfera terrestre e mergulhamos num círculo de energia azulada. Creio ter sido um "portal" de saída da Terra e está localizado em um dos polos, creio que o do norte.

O astral mudou completamente depois que passamos pelo círculo azulado. Tudo ficou mais leve e suave, o ar mais fino, embora muito escuro. No entanto, enxergo ao longe, vendo vários sóis brilhando, piscando, explodindo. Seus movimentos parecem uma dança de rara beleza e dão a impressão de que tudo está vivo.

Continuamos viajando pelo espaço, agora mais livres, e sem a pressa de antes. O Planeta Patrulha do Com. Yury já não exerce mais tanta influência no nosso movimento e apenas uma tênue luz nos envolve, banhando nossos corpos. Ysh-Wam me pega pela mão e me conduz na viagem. Mentalmente ele me informa que vamos visitar planetas bem distantes da Terra.

Passamos por Júpiter e Saturno, saímos de nossa galáxia. Olhei-a de longe. Parecia leite derramado, cheio, cheio, salpicado de purpurinas douradas, brilhando aqui e ali. Visão simplesmente fascinante.

Novamente o Planeta Patrulha nos envolveu com a aquela mesma Força-Luz. Velozmente nos deslocamos até outra galáxia redonda. Ao nos aproximarmos, mergulhamos de cabeça e entramos em sua energia.

Atravessamos o espaço, passamos por nebulosas, estrelas, planetas, rochas flutuantes semelhantes a grandes montanhas vagando. Outras pareciam icebergs gigantes brancos, flutuando soltos no ar.

Esta viagem foi difícil de ser descrita para vocês, pois sequer a imaginei um dia. O que vi nunca passou por minha mente, mesmo em sonho.

– Chegamos – diz ele.

A minha frente, vi um planeta semelhante a Terra. Então, disse a Ysh-Wam: parece muito com a Terra.

– Entraremos em sua atmosfera. Deixe-se conduzir sem fazer perguntas ou questionamentos, pois estamos muito longe de Casa e devemos aproveitar nossa excursão. E continuou:

– Os momentos dolorosos pelos quais passará a Terra e sua humanidade haverão de marcar profundamente os espíritos que lutam por desvencilhar-se das paixões, oscilando entre a verdade e a dúvida, desejando não acreditar, porém acreditando. São criaturas de boa índole que, se permanecessem mais um tempo vivendo na Terra, conseguiriam, sem maiores sofrimentos, superar os estágios primitivos da evolução. Para esses, a Misericórdia Divina concederá um planeta semelhante denominado Irmão, em que os Técnicos Siderais prepararão condições semelhantes àquelas existentes na Terra, para que, imbuídos de bons propósitos, essas pessoas possam regenerar-se e dar continuidade à trajetória de vida estabelecida pelo Alto.

As condições atmosféricas, edáficas (referentes ao solo) e hídricas do planeta propiciarão a construção de acordo com a tecnologia vigente hoje na Terra. Muitos dos equipamentos existentes na atual civilização terrestre, aqui serão reproduzidos.

Paraíso edênico?

– Sim. Assemelha-se à imagem criada do paraíso, porém, nada mais é do que a natureza pura, ainda intocada pela fúria humana.

Também, mentes influenciáveis perturbadas para aqui serão trazidas em corpo físico, a fim de não enlouquecerem, destruindo pela "força opressora da violenta transição planetária" as células cerebrais do perispírito. Inconsciente de tratar-se de "novo planeta", estarão quase todo o tempo com a nítida impressão de viverem sobre a Terra.

Irmão, eles não poderão voltar ao círculo vicioso de domínio sobre o planeta?

– Não, filha, pois os que viverem aqui serão selecionados antes. São apenas aqueles que já extinguiram do seu conteúdo genético espiritual os genes da violência, dominação e terror.

Sigamos agora para outro orbe que também receberá levas de decaídos ou exilados.

Tomamos novamente o rumo do espaço e entramos num círculo de energia vermelha ferruginosa. Tive a impressão de que era a aura incandescente de um astro. Notei que na atmosfera daquele astro havia fogo e calor. Contudo, esses elementos não nos atingiam, devido a proteção que recebíamos do Planeta Patrulha; além disso, não viajávamos em corpo astral. Em seguida, pousamos.

O planeta era seco, árido e vermelho. Ali não existiam seres vivos; nem plantas, nem animais, só terra seca, pedregulhos, areia. Só havia muitos vulcões e fogo em toda parte.

Irmão, tudo isso aqui lembra o inferno. De onde vem essas imagens para minha mente? Nunca fui tão católica a ponto de tê-las comigo tão vivas.

– Não fostes recentemente, mas em vossa memória cósmica compreendeis o significado, segundo a apreensão e descrição realizada por mentes encarnadas, as quais foi dado conhecer e traduzir para as criaturas na Terra, as inúmeras moradas da Casa do Pai.

Alguns falharam nas suas interpretações trocando a fidelidade do que viram pelo interesse mesquinho, passando aos homens a ideia de um céu e um inferno para punição eterna, originando-se o poder de manipulação das consciências infantis e primitivas dos humanos recém-decaídos (exilados) de outros processos planetários.

Quem virá para esse orbe?

– Os sedentos de sangue aplacarão aqui a fúria de sua perturbação, enquanto verão e sentirão queimar os miasmas e formas-pensamentos aderidas as suas mentes insanas (Provavelmente serão os vampiros, pois essa categoria de espíritos provoca todo tipo de situação onde haja derrame de sangue, sem contar nos ataques diretos as suas vítimas).

Logo após, rumamos para o Astro Intruso, o Hercólubus, pois o tempo urgia.

Pude vê-lo como se fora da Terra.

Havia animais semelhantes a macacos andando de pé, brigando entre si com pedras, pedaços de pau e outras armas rudimentares. Comecei mentalmente a fazer indagações, ao que Ysh-Wam percebeu e passou a respondê-las.

– Já são esses seres reencarnações das almas violentas que se exterminaram incessantemente, dando vazão à fúria enlouquecedora de sua natureza instintiva.

São esses seres que, em nossas batalhas, vemos sendo retirados aprisionados em grades e depositados em Naves Prisões Espaciais?

– Sim. Muitos passam por um período de tratamento em nossas naves espaciais, onde suas características genéticas são trabalhadas com o intuito de se readaptarem em ambiente primitivo na matéria quando da próxima encarnação.

Eles retroagem?

– Não. Nada involui. Apenas canalizamos a força bruta, violenta, de seus instintos, em modificações genéticas que lhes apresentam um fenótipo diferenciado do humano mais evoluído. Todavia, não involuem, dão apenas demonstração e vazão física dos seus instintos animais. Uma vez gasta essa energia primitiva, voltará o corpo astral à condição anterior e após nova fase de tratamento e avaliação, reencarnará novamente em tempo muito mais curto e com aparência semelhante a atual.

Foi isso que aconteceu conosco na Terra, quando fomos exilados do nosso planeta de origem?

– Sim, filha. O processo é o mesmo e por isso houve na Terra raças distintas evoluindo em diferentes pontos de vosso orbe.

Quis fazer mais perguntas, porém ele disse:

– Retornemos! Por hoje é suficiente.

 

Ysh-Wam

GESH – 26/09/2003 – Vitória, ES – Brasil

 

Nota: Mensagem retirada da Divulgação 36




RETORNAR ÀS MENSAGENS E DIVULGAÇÕES
ENTRE EM CONTATO CONOSCO AGORA MESMO!
Todos os direitos reservados ao Grupo Espírita Servos de Jesus | 2017
FBrandão Agência Web