3861

Tenho a consciência da minha arrogância que, não perdoava os deslizes alheios

01/07/2019



Irmãos, o que nos reúne nesta escola espiritual, é a vontade de crescer moral e espiritualmente, e, assim podermos avançar na longa estrada do progresso.

Chegamos muitas vezes de retorno ao plano espiritual exaustos, falidos e, pensamos em nos lançar na loucura do esquecimento quando, percebemos as oportunidades que deixamos passar para saudarmos dívidas, amenizar mágoas, e darmos o perdão.

Dedico-me intensamente nesse momento ao meu desenvolvimento espiritual, pois quando na carne tenho a consciência da minha arrogância que, não perdoava os deslizes alheios.

Somos todos aprendizes, e, nesta Casa de amor vou passando aos jovens e crianças, as belas lições de canto, músicas e poesias que me guiava em vida, transformando-as em gotas de esperança nos seus frágeis corações.

Sigo aprendendo, e com amor me despeço.

 

Ary Barroso

GESJ – 02/10/2010 – Vitória, ES – Brasil

 

Nota: Mensagem retirada do Livro Sementes ao Vento




RETORNAR ÀS MENSAGENS E DIVULGAÇÕES
ENTRE EM CONTATO CONOSCO AGORA MESMO!
Todos os direitos reservados ao Grupo Espírita Servos de Jesus | 2017
FBrandão Agência Web