36

Divulgação 36

15/04/2005

      A+ A-


Queridos amigos e leitores.

Que Deus, nosso Pai, Senhor de Todos os Mundos, inunde nossos corações com muito amor e ilumine as nossas mentes com a luz do conhecimento. Amor e Sabedoria; equilíbrio perfeito nos Anjos; ideal almejado por todos nós.

Com vocês, a Divulgação 36. Para os que apreciam nosso trabalho, bom proveito! Não se esqueçam de tirar cópias e passar adiante. Vamos iniciá-la com um assunto complexo, porém atraente.

Corpos preservados

Houve uma época, entre oito e doze anos atrás, que alguns dos nossos canais/médiuns, tanto nas reuniões de 2ª feira, quanto nas do GER (Grupo de Estudos Ramatis), viam constantemente corpos físicos preservados em cápsulas de vidro ou cristal, tamanho grande, e em recipientes também do mesmo material, lembrando urnas funerárias.

Todos os corpos eram lindos e vistos como se os seus donos estivessem vivos e dormindo, tal a serenidade e beleza que eles apresentavam. Mas, que fique bem claro: aqueles corpos em perfeito estado de conservação, bonitos e saudáveis, não possuíam espírito. Os médiuns diziam não saber localizar os lugares, mas tinham certeza que eles ficavam em ambientes subterrâneos, no Brasil.

Esse fenômeno foi visto várias vezes e nós ficamos curiosos, pois os Instrutores Espirituais não nos davam explicação. Os anos se passaram e eu, particularmente, mantive viva dentro de mim a chama acesa da curiosidade sadia, curiosidade essa que nos leva ao caminho da sabedoria e aliada ao amor, nos conduzem à trajetória divina.

Agora, com esse trabalho de Divulgação, achei que era hora de descerrar as cortinas e ver o que havia por trás de tudo isso. Juntando material novo com algumas mensagens antigas, montamos este capítulo que vem colocar mais uma peça no enorme quebra-cabeça que é a Criação Divina. Quanto mais pesquisamos, mais surpresas extraordinárias surgem a nossa frente. É uma caminhada infinita e simplesmente deslumbrante.


Corpos Preservados – Clonagem

Antes da transcrição na íntegra das mensagens a seguir, daremos ligeira explicação sobre o recebimento desse material. Como já dissemos, de vez em quando, companheiros em reunião mediúnica via corpos humanos inanimados, cuidadosamente guardados em ambiente limpo, saudável. Dentre eles, corpos que se pareciam tanto com pessoas do Grupo, como se fossem sósias; todavia, bonitas e jovens.

Esse tipo de revelação aconteceu tanto durante certo tempo, que nos sentimos na obrigação de pedir algum esclarecimento a respeito do assunto.

Dentre nós, ninguém possui conhecimento científico para análises, sob o ponto de vista da clonagem, muito menos dos procedimentos genéticos espirituais dos Engenheiros Siderais. Contudo, não podemos guardá-las por mais tempo, esperando outras revelações que as complementem, pois os Tempos Chegados já chegaram.

Hoje, recordando o passado, compreendemos claramente o motivo da interrupção do tema. Os médiuns que estavam envolvidos com essa tarefa para os devidos esclarecimentos abandonaram o GESJ (Grupo Espírita Servos de Jesus). Outros medianeiros nem sempre são capazes de realizá-la. Os "desertores" já nasceram programados e treinados para atuarem naquele tipo de atividade de conhecimento espiritual. Lembra-nos médicos, engenheiros, professores e outros profissionais que se especializam em determinada área, sem que os técnicos possam substituí-los a contento.

O trabalho parece-nos estar incompleto, mas, mesmo assim, publicamo-lo, pois deve haver pessoas interessadas, esperando ansiosas por essa pequenina parcela que possuímos deste conhecimento transcendental.

Paz sempre. Margarida


Corpos Preservados I

Era a segunda segunda-feira de julho. Fui levado até Alto Paraíso e vi a cidade em harmonia. Alguns dias atrás, Ashtar Sheram havia me dito que a parte deles na transição planetária estava pronta.

Nesta mesma noite, vi algo como uma cidade de cristal sair das entranhas da Terra e aflorar na superfície, inundando tudo de luz e de uma energia espetacular. Depois, fui levado a uma rocha, ainda próximo de Alto Paraíso, e dali saí voando em direção ao norte. Depois, quando sobrevoava o rio Amazonas segui em direção oeste, rumo a nascente do rio. Era como um dia sem luz. Eu voava a grande velocidade, mas não me sentia dentro de nave alguma.

Neste vôo, por momentos, senti que não sobrevoava a superfície da Terra, mas algum lugar subterrâneo.

Parei sobre uma clareira aberta no meio da floresta. Era uma luz semelhante a do amanhecer. Na clareira havia algo como marcas de uma grande cidade destruída pelo tempo.

Assim terminou esta viagem.

GESJ, 09/07/1990


Corpos Preservados II

Estava na terceira segunda-feira de julho. A noite, concentrado no Centro, vi-me numa caverna muito grande. Eu estava parado diante de algo como um caixão de luz azul transparente que flutuava acima do chão.

Perguntei mentalmente o que era aquilo. Falaram-me que era uma réplica do meu corpo. Eu disse que já ouvira outros médiuns falarem sobre isso. Responderam que todos daqui da Casa tinham um igual. Perguntei para que serviam. Responderam-me que era um corpo para ser usado quando os fatos excepcionais assim determinassem.

Senti que não viriam mais respostas, pelo menos por enquanto. Eu olhei a minha volta, vi então, no outro lado da grande gruta subterrânea em que eu estava, uma porta se abrir.

Havia um luar em excesso do outro lado. As silhuetas de três homens se desenharam contra a luz, e caminhei em direção a eles, que me convidaram para entrar no salão de luz, onde nada se enxergava com os olhos da carne. Eu não consegui vencer a barreira. Então, voltei.

GESJ, 16/07/1990


Corpos Preservados III

Recebemos a saudação dos dois extras que nos acompanham há uns dois meses (Obs: Tempos depois se identificaram como Ysh-Wam e Mahyr, extraterrestres do Planeta Astra-Orion).

Vi, numa gruta que imagino ser no Tibet e caixas de algo como cristal translúcido que emitia luz azulada, ou estava envolta em luz, não sei bem. Dentro havia um corpo de carne e osso, como se estivesse dormindo.

Eu estava com Shama Hare e ele comentou que eram corpos usados em missões especiais.

Disse que aqueles corpos, após o uso, eram esterilizados e voltavam à caixa, pois isso impedia que qualquer bactéria, fungo e outros microorganismos atacassem aquela matéria.

Disse ainda que o corpo era conservado a vácuo (parece improvável à minha compreensão) e aquela luz que emanava, talvez da caixa de cristal que eu via, iluminando a gruta, era o alimento que sustentava o corpo.

Disse ainda que aquele corpo não era sustentado por alimentos como os nossos corpos. Acrescentou que, toda vez que o corpo era "reativado", passava-se algum tempo até que o corpo e o Ser que o utilizava "aprendessem" a andar, talvez falar, etc.

Entendi que era uma semana e meia, mais ou menos. Agora me parece tempo demais, para quem tem tanto a fazer, embora não deva ser muito comum esta operação.

Embora naquele dia eu estivesse um pouco disperso durante o mantra, na parte final, vi o salão encher-se de uma luz intensa, que imediatamente traduzi como a presença do nosso Mestre Ramatis.

A luz naquele momento tinha uma vibração especial de alegria e felicidade que senti vinda do coração d’Ele em nossa direção.

Viagem Astral com Shama Hare, GESJ, 24/10/1992


Corpos Preservados IV

Que a Paz e o Amor de Deus estejam em toda parte!

Boa noite, querida irmã Margarida.

Respondendo a sua pergunta, quero dizer que em nossa dimensão existe uma infinidade de estruturas de corpos. Desde o verdadeiro corpo astral ao simples reflexo de um corpo que vaga. Os médiuns, portanto, sentem grande dificuldade em entender ou explicar o que vêem.

O correto seria que, sempre que em suas vidências aparecesse algo sem sentido ou explicação, perguntassem sem medo aos Seres que os guiam, que explicassem a razão do que vêem, que não levassem adiante um trabalho completamente sem sentido.

Refiro-me aos médiuns mais desenvolvidos e que precisam treinar a capacidade de dialogar com seus amigos espirituais, para que o trabalho desenvolvido tenha utilidade. Por favor, não fiquem melindrados com o que digo. Apenas acrescento estes fatos para que as tarefas realizadas sejam melhor aproveitadas.

No entanto, o que talvez seja mais interessante vocês saberem é que alguns corpos, plenos de saúde, são preservados em regiões do Tibet, e para quando houver necessidade de um Mestre estar entre vocês, ele poder usá-lo. Poderiam perguntar, porque o Mestre não se materializa e aparece? Acontece que, muitas vezes, o lugar onde precisa ir está repleto de seres que não oferecem jamais condições necessárias para uma materialização e, como vocês sabem, não existem milagres.

Quando vocês vêem seus próprios corpos, "algumas vezes", já antevêem a estrutura do corpo astral do 3º milênio, já despida das interferências da carne saturada de doenças e chagas, tanto físicas quanto morais, do homem de hoje.

Existem ainda corpos que são vistos com freqüência como projeções das mentes dos médiuns, em torno do que lêem ou ouvem. Quase um animismo baseado no que tem conhecimento. Nas horas que se concentram, as vezes, apenas vêem os reflexos destas imagens auto projetadas.

Shama Hare, GESJ, 25/11/1996


Corpos Preservados V

Eu, Natan, vos saúdo em nome do Pai e peço ao Divino Mestre Amado que nos proteja, aumentando nossas forças, abrindo mentes, esclarecendo dúvidas.

Que a Luz do Amor Maior ilumine vossos corações hoje e sempre.

P - Gostaria de saber a respeito de preservação de corpos e a finalidade desta?

R - Bem sabeis que o Pai é o Criador e toda sua criação não perece, não é destruída, transforma-se, evolui. A preservação de corpos acontece, dada a necessidade de evolução, que ainda as almas estão a escalar. Seres que já alcançaram um grau evolutivo muito maior, livres da roda encarnatória, dispensando corpos materiais, passam a se manifestar apenas como energias puras, que são. E para poderem atuar mais próximo a vós no plano físico utilizam este processo.

A finalidade maior é garantir as almas em evolução, vindas de outras esferas, o retorno a sua "CASA" de origem, após o pagamento de seus débitos contraídos anteriormente.

P - Poderia explicar-nos como se processa?

R - Quando existe a necessidade de exílio ou degredo de seres de outras galáxias ou mundos intraterrestres para mundos menos evoluídos que o seu de origem, estes se desvencilham de seus corpos naturais para descer aos reinos onde lhes será propíciado o desenvolvimento moral, intelectual, devido ao mau uso que fizeram de sua liberdade nos mundos aos quais pertenciam. São chamados à corrigenda de seus erros.

P - Onde ficam estes corpos?

R - Em câmaras especiais sob a radiação de cristais, que mantêm a vibração energética dos corpos, mantendo também suas características natas, evitando dessa maneira que os mesmos sofram danos, ou prejuízos em sua estrutura etéro-física.

É necessário que se mantenha a integridade destes para que, no momento devido, possam novamente revestir o espírito ao qual pertencem.

P - Todos os seres presentes nesta Terra possuem um corpo preservado em alguma estação base?

R - Não, apenas os que já alcançaram um determinado grau de evolução e, como já disse antes, fizeram do desrespeito às Leis Divinas suas próprias Leis.

P - Podem estes corpos serem utilizados por outros Seres que não o seu ser natural?

R - Sim, se houver necessidade, com a devida permissão, um ser de maior grau evolutivo, de vibração energética acima da do corpo em questão, poderá utilizá-lo para desempenhar uma Missão de Luz.

Nos tempos atuais, muitos corpos têm sido utilizados dessa forma, em benefício desta humanidade. Muitos voluntários, de mundos mais evoluídos que o vosso, se compadecem de vós e se oferecem ao trabalho redentor de limpeza, resgate e ascensão deste orbe.

P - Há prejuízo para o corpo preservado, quando é utilizado nas missões?

R - Não, porque tudo o que têm é o Amor a nortear o caminho, a missão, e este não traz prejuízo algum; ao contrário, só evolução. O corpo em questão recebe uma carga de energia positiva e pura que ficará permanente, ou seja, somará à do próprio ser, pois na humildade, na resignação, servem de casulo a um Irmão Missionário da Luz.

P - Onde estão estas câmaras?

R - Em pólos bases nas cidades intraterrenas e oceânicas, mas principalmente em algumas naves. Como já disse, dada a emergente situação deste orbe, foi necessário trazer, de outros mundos, corpos de alguns seres que estão nesta Terra encarnados.

P - Por que?

R - Devido não só ao empenho, ao estudo, à dedicação, à seriedade, mas, principalmente, à responsabilidade com a qual enfrentam esta encarnação, fazendo evoluírem mente e coração; de forma a ajudar o meio ao qual foram inseridos. Dada a firmeza de propósito e a coragem com a qual enfrentam os obstáculos impostos a esta encarnação, visando quitar seus débitos anteriores, obtiveram, do Alto, permissão para trabalhar em desdobramento, usando seus verdadeiros corpos, auxiliando muito mais na Missão Terra. E também emprestando seus corpos aos seres que, como já dissemos, descem em missão especial e necessitam de corpos mais sutilizados para aqui atuarem.

P - Posso fazer mais uma pergunta?

R - Sim.

P - É possível a seres encarnados reconhecerem e utilizarem seus corpos preservados para visitarem seus mundos?

R - Sim, isto acontece às vezes, quando, em sono, muitos de vós, aqui presentes neste orbe, utilizam seus corpos para desempenhar funções de solidariedade, como resgate, onde a densidade material de vosso corpo desprendido não poderia atuar.

- Obrigado! Agradeçamos então ao Senhor a oportunidade de mais esta palestra e esperamos que em breve possamos nos reunir em Missão novamente. Deus os abençoem!

Natan (um Intraterrestre), 29/01/2000


Corpos Preservados VI – Clonagem

Ao iniciar a concentração, saí do corpo e me vi dentro de um salão. De repente, o salão foi desaparecendo e, sobre o local, surgiu uma nave. Um foco de luz central conduziu-me para o seu interior e vi como se a nave estivesse cortada longitudinalmente.

Enfileiradas, estavam várias câmaras de cristal, com uma espécie de líquido ligeiramente gelatinoso, com corpos humanos ali mergulhados.

Comecei então a receber contato mental.

- Clonagem. Alteração no código genético. Características involutivas e anomalias eliminadas. Espírito de luz pode usar corpos preservados em líquidos especiais que servem para Imunização e Controle das características vitais das células (corpos vivos), em outra faixa vibratória, em outra dimensão.

É difícil explicar como certas comunicações acontecem. Neste caso senti que havia um diálogo mental entre uma pessoa física e eu, porém, não apenas a mente era sua manifestação, mas todo seu ser. Sua presença parecia falar, todo o ambiente era inundado por ela. Era como se o ar carreasse igualmente informações que eu podia acessar do diálogo a qualquer instante. Surgem sensações indescritíveis de se pertencer ao todo que nos envolve nessa hora.

Compreendi que as palavras captadas eram palavras chaves referentes ao tema solicitado para estudo (corpos preservados). Mesmo com pouca explicação, foi possível entender o seguinte:

Os corpos que vi na nave foram clonados a partir de outros pré-existentes e passaram por processos e técnicas que alteraram sua carga genética para melhorar sua condição, eliminando características involutivas e anomalias cármicas.

Compreendi também que, uma vez elevado o nível vibratório daqueles corpos, somente espíritos já desapegados e elevados moralmente poderiam utilizar-se deles. O ser continuou a transmitir-me conhecimentos:

As experiências foram realizadas desde os primórdios quando os Engenheiros Siderais verificaram o insucesso do Projeto Terra.

A clonagem realizada hoje pelos seres humanos teve origem na captação dos fluidos magnéticos intelectuais que pairavam sobre vossa atmosfera. Uma pena que a capacidade de apreensão de vossos cientistas não conseguisse captar igualmente os fluidos magnéticos morais dos Senhores da Luz. O que mais deseja saber?

P - Qual vosso nome?

R - Arimatéia.

P - Quem sois vós?(Estranhou a pergunta. Houve um ajuste mental para que ele compreendesse minha pergunta e respondesse.

R - Sou integrante da Equipe de Manutenção dos Corpos Preservados.

P - Como tudo começou?

R - Tudo teve início à partir de células humanas de seres encarnados.

P - Esses seres foram escolhidos aleatoriamente?

P - Não, de forma alguma. No início, quando já não havia mais possibilidade de correção na rota tomada pelos seres humanos na Terra, o assunto foi divulgado amplamente entre os habitantes do planeta. Alguns ouviram, outros não.

P - O que foi divulgado?

R - As condições presentes na época e as condições futuras do planeta.

O desenrolar dos acontecimentos futuros.

A oportunidade de resgate e transição para as "estrelas caídas" (os exilados de outros orbes).

P - Só as "estrelas caídas" ouviram esse chamado?

R - Não, mas a maioria dos que escutaram, são "estrelas caídas".

P - Houve alguns habitantes desse próprio planeta que se ofereceram para esse projeto, buscando um salto evolutivo?

R - Sim, foram poucas as almas originárias deste orbe, mas estão presentes no programa de redenção.

P - Como aconteceu a escolha após o chamado?

R - Todos foram entrevistados e selecionados os interessados.

P - Como foi feita essa seleção?

R - Da mesma maneira que são escolhidas as provas e missões, através da irradiação luminosa dos chacras cardíaco e sacro. Para o entrevistador experimentado não há falhas na observação das luzes que se irradiam desses dois pontos quando um ser é submetido a certas questões.

P - E depois da escolha?

R - Os seres escolhidos ao reencarnarem forneceram voluntariamente células vivas de seus corpos para o trabalho dos cientistas.

P - Então a construção desses corpos que vimos teve origem a partir de células orgânicas vivas?

R - Sim, uma vez coletadas essas células foram submetidas a inúmeras etapas de tratamento.

P - As células escolhidas para esse trabalho foram somáticas ou germinativas?

R - Algumas somáticas, outras germinativas. As células germinativas, por trazerem carga de energia vital ainda densa e carregada do magnetismo da célula mãe, a Terra, oferecem alguma resistência para o trabalho, embora, quando domadas, oferecem um resultado surpreendente...

P - Então o trabalho espiritual que muitos de nós realizamos hoje, faz parte de uma escolha feita a muitas encarnações passadas?

R - Sim, como já vos foi dito inúmeras vezes.

P - Depois do momento em que nossas células foram recolhidas, nós seguimos trabalhando pela Luz, para essa transição?

R - Não. Muitos de vós, na verdade a maioria, deixou-se retornar para as sombras do esquecimento. Mergulharam mais uma vez na roda viva do ciclo cármico que os atraiu no princípio da queda.

P - Mas é certo que alguma semente ficou em nós desde então?

R - Se assim não fosse, não estariam aqui hoje.

P - Há muitos ainda adormecidos?

R - Alguns permaneceram conscientes, outros mergulharam de volta nas sombras do esquecimento. Alguns despertaram no caminho, outros permaneceram sonolentos e alguns adormecidos.

P - Esse trabalho de divulgação tem como função ajudar no despertamento desses companheiros esquecidos?

R - Sim e ao mesmo tempo ajudar aqueles que nada conhecem ainda sobre nós, sobre outras estrelas, outros sóis, outros sistemas habitados.

P - É certo que ainda há seres que em toda plenitude de suas consciências ainda não enxergaram a verdade da vida habitando por toda parte no universo?

R - Sim.

P - Existem planetas assim como o nosso?

R - Você quer dizer com experiências?

P - Sim, tão primitivo e ignorante a ponto de negarem a existência de vida em outros mundos?

R - Sim. Voltemos ao nosso diálogo. Uma vez recolhidas, as células foram mergulhadas em substância mineral geleificada durante algumas décadas, para sofrerem a primeira limpeza devida a atração dos minerais puríssimos empregados no processo e extraídos diretamente do cosmos no momento da criação e formação deste orbe. A atração do semelhante oposto fez extrair das células animais recolhidas, todos os vestígios minerais primitivos das matrizes.

P - Após esse trabalho delicado e demorado, as matrizes foram reproduzidas ou utilizadas?

R - Está avançando...

P - Perdão.

R - Após a extração do material mineral primitivo, este foi substituído por sua semelhança pura, bombardeando-se a célula com o pó primordial, poeira cósmica pura, originária no berçário dos planetas.

P - Meu irmão, sinto as vibrações se distanciando, é hora de pararmos?

R - A tudo corresponde começo, meio e fim. Por hoje é só. Paz invicta

Arimatéia, GESH, 31/01/2000

Obs. da médium: O reajuste de volta no corpo físico é difícil e incômodo. O contato com Seres de Hierarquias Superiores faz nossos espíritos vislumbrarem uma realidade extraordinária que nos convida a deixar o mundo físico e voltar imediatamente para a luz.


Corpos Preservados VII – Clonagem

Meus irmãos, venho nesta noite dar-vos esclarecimentos sobre corpos preservados.

Sou Erimedes. Podeis fazer perguntas.

P - Existe algum critério na escolha dos corpos a preservar?

R - Sim, como já foi esclarecido, a finalidade desta operação é facilitar o intercâmbio de planetas escolas, onde se possibilite ao espírito quer terrícola, quer extra, intra ou aquático, avançar em sua evolução, descendo a um meio diferente do seu de origem.

Quando termina a escolaridade e o espírito chega ao mesmo nível de desenvolvimento dos seus compatriotas, ele retornará ao seu mundo, retomando seu corpo que foi preservado, a fim de facilitar sua readaptação ao meio ao qual pertence.

P - Por quanto tempo pode-se preservar um corpo, sem que o mesmo sofra algum dano em sua estrutura molecular eletromagnética?

R - A equipe encarregada desta operação vem aprimorando cada vez mais sua tecnologia e estudos nesta área. Os primeiros corpos preservados poderiam assim permanecer por cerca de cinco séculos do vosso calendário. Hoje, já se consegue estender este prazo por alguns milhares de anos, sendo que, se o mesmo for utilizado por um período igual a 1/3 do período em que esteve preservado, este poderá ser novamente preservado por período igual ao anterior, ou seja, que se dê atividade ao corpo para que suas moléculas eletromagnéticas sejam redimensionadas, dinamizadas novamente pelo próprio dono, ou melhor dizendo, pelo próprio habitante natural. Nesse caso, então, pode-se preservá-lo, se for necessário para aprendizagem e progresso do ser.

P - Qual o trabalho essencial, de vital importância na preservação dos corpos?

R - As equipes encarregadas têm o dever de resguardar estes corpos para que os mesmos estejam em perfeito estado e condições de utilização, quando for preciso. A temperatura do ambiente, a dinamização eletromagnética dos cristais que são colocados nas câmaras e as projeções cromoterápicas são fatores importantes, porém o mais importante é a esterilização do ambiente, que deverá ser permanente. As câmaras onde os corpos são preservados são literalmente estéreis e assim devem permanecer, com o objetivo, repito, de manter a integridade do corpo que ali se encontra.

P - Já disseram que os mesmos podem ser utilizados por outros seres, desde que eles sejam mais evoluídos que o corpo a ser usado. Como se dá a escolha dos corpos que servirão aos seres enviados em missão?

R - É certo que existem Seres supra físicos que vibram na Luz. São Luzes. Para estes casos, o Ser que desce em missão entra em processo de condensação energética, densificando sua forma o mais possível e, a partir de então, sob as medidas conseguidas desta transfiguração, se escolhe um corpo que possa suportar esta carga energética, levando-se em conta também o grau de desenvolvimento, ou seja, a vibração eletrodinâmica do corpo escolhido, a fim de que estes não se antagonizem, causando prejuízo a ambos, ao Ser em missão e ao corpo que será utilizado por este.

P - Qual a maior necessidade de um corpo preservado?

R - Um corpo preservado é um corpo inanimado, portanto desprovido de necessidades, exceto as que dizem respeito à sua conservação. A maior necessidade é a do espírito que se despe de sua real forma, desce a uma forma menos evoluída, a fim de aprimorar-se crescendo, corrigindo suas falhas de caráter, no sentido moral e espiritual. O desrespeito às Sagradas Leis do Universo faz com que seres que faziam parte de uma Comunidade mais evoluída, mais avançada, tomem uma forma mais densa, retornando aos ciclos encarnatórios de provas e expiações, visando apenas o progresso. Assim que este ser alcançar o nível desejado ou estabelecido por sua raça, seu povo, retoma sua forma original e volta ao meio ao qual pertencia.

Agradeço ao Pai por este encontro. Que a Paz, a Luz e o Amor norteiem vossas estradas, sempre e sempre.

Erimedes, GESH, 22/03/2000


Com o mal não existe paz, apenas medo

Salve Jesus! Divino Mensageiro da Paz.

Quanto mais desejará sofrer esta humanidade, para reconhecer as palavras do Meigo Rabino e retroceder na maldade?

Quantos filhos deverão ver ainda perdidos no mal, para reconhecerem a Luz?

Não mais existem paredes físicas, prisões que contenham a maldade, a violência, pois como um grande polvo, os seus tentáculos se expandiram de tal forma, invadindo todo o Planeta, que as barreiras já não existem. Mesmo aqueles treinados para a defesa da população são partes desses tentáculos, atuando para o Mal (Refere-se a "banda podre" das polícias, dos políticos e da Justiça).

Com o Mal não existe paz, apenas medo.

Com o Mal não existe amor, apenas ódio, desejo de vingança, de poder e de domínio.

Tudo isso se intensifica devido a aura magnética do planeta (intruso = higienizador) que se aproxima em alta velocidade, em direção à Terra. Contudo, não se chocará fisicamente com ela, apenas suas auras encontrar-se-ão, trazendo tantas transformações que não haverá necessidade choque físico. Não será destruída a Terra, dar-se-á apenas uma transformação profunda que a fará renascer limpa e vitoriosa.

Das profundezas, emergem cada vez mais as sujeiras, que há muitos milênios vinham se depositando nos charcos, nos pântanos e nos abismos planetários do astral.

O Exército do Bem tem crescido e se expandido, minando as bases dos Comandos das Trevas que pensam estar solidamente enraizados, seguros.

O Planejamento Divino segue conforme as Mentes Superiores o conceberam, por mais que pensem as mentes perversas e orgulhosas serem os Poderosos do Mundo. Mera ilusão.

Vossos corpos encontram-se cansados, pois vindes trabalhando de forma excepcional. Como bem sabeis, os vossos vários corpos estão divididos e atuantes em várias situações, não tendo descanso. Recebeis cargas energéticas extras para que possais mantê-los firmes e saudáveis, e assim ficareis, enquanto estiverdes dispostos a permanecer como parte integrante desse exército, o Exército da Luz.

A Luz continua incidindo de maneira intensa sobre o planeta, abastecendo os reservatórios energéticos para continuarem limpando, cada vez com mais intensidade e aceleração, os níveis mais densos. A manifestação das Forças do Bem de forma mais próxima dos núcleos de Luz torna-se cada dia mais difícil, porém, em nenhum momento, duvideis dessa Presença Amorosa junto a vós, pois é essa Força e essa Luz que vos sustenta a todos os instantes nessa jornada.

É sempre agradável o convívio convosco e é sempre uma alegria nossa presença entre vós.

Margarida - É nosso querido irmão Yury que se encontra entre nós?

Yury - Sim, em projeção.

M – Nós já estávamos com muita saudade. Bem sabeis o quanto nós o amamos e o veneramos, não somente a vós mas a todos os nossos Irmãos Maiores, com muito respeito e carinho.

Sabemos também e confiamos na energia que nos dispensais, mas como nos dissestes a pouco, nossos corpos se ressentem, devido ao desdobramento, principalmente o meu corpo físico, que se encontra bastante desgastado. Tem-se ressentido devido ao clima que está muito adverso, como pelas constantes lutas, mas, enquanto o Pai nos der energia e saúde, haverá sempre a alegria imensa de servi-lO e, de viver. Estaremos sempre a postos e não vamos decepcionar nossos Mentores e Guias, Amigos Espirituais e Irmãos Maiores que confiam em todas nós.

Y – Nesse período em que estais dentro de um trabalho, que é uma etapa de uma grande batalha, alguns de vossos corpos permanecem descendo em níveis cada vez mais densos, em regiões abismais e não voltarão enquanto não se findar a batalha.

Retornam apenas a "Postos de Socorro" que existem na descida e ali se abastecem com energia vinda do Alto. Em seguida, continuam descendo, cada vez mais, até o ponto onde deverão limpar, através de lutas, batalhas e enfrentamentos para o resgate dos seres bestiais que ali habitam.

M – Quer dizer que estamos nesse trabalho há dias com nossos corpos desdobrados, desde aquela primeira etapa?

Y – Sim e mais duas etapas ainda devereis enfrentar, até o final dessa batalha.

M – Enfrentaremos com muito amor e muita coragem. Falo por mim, por minhas companheiras e demais pessoas do GESJ que estão engajadas nessa grande tarefa. Afirmo, mais uma vez: não vamos decepcionar-vos.

Y – Entendemos e compreendemos, pois conhecemos a mais íntima fibra dos vossos seres e sabemos que sempre podemos contar convosco, pois sois destemidas, corajosas e tendes Fé.

M – Mesmo porque, fomos nós que também, ao longo dos milênios, ajudamos a "sujar" a Terra. Esta tarefa é nossa, muito nossa!

Y – Nada mais justo que a limpeis agora. É a Lei de Causa e Efeito.

Devereis permanecer unidas, porque os laços que vos unem são fortes, poderosos e fostes preparadas mesmo antes de nascer, bem sabeis.

Depois do Festival de Wesak, que ocorre este fim de semana, devereis iniciar a dieta que já conheceis, livre de produtos animais que possam prejudicar-vos nessa etapa da descida.

M – Agradecemos o aviso e cumpriremos as recomendações.

Y – Que Deus abençoe a todos.

M – Que assim seja!

Y – Nossa presença é constante e ininterrupta em vossos corações, pois sois as nossas crianças queridas. A Paz vos deixo.

M – Que assim seja! Grande é nossa alegria, pois apesar de pequeninas e imperfeitas, Irmãos tão evoluídos de tão alta hierarquia espiritual gostam de nós e velam por nós. Não temos palavras para expressarmos nosso amor e gratidão.

Comandante Yury, 24/05/2002


Chegada ao Astro Intruso

Vi o planeta Terra descolando e revirando-se pelo avesso, como se fosse uma bola que se vira a parte interna para fora. Depois, vi aproximar-se o Astro Higienizador, fazendo enorme sombra sobre a Terra. Escuridão seguida de muitas mortes e corpos empilhados por toda parte.

Vi grandes seres com forma de peixes voadores pulavam sobre alguns cadáveres e os agarravam com garras resistentes e os carregavam nas extremidades das asas que mais pareciam grandes braços.

Observei que fendas abriam-se no solo e de dentro jorrava lava incandescente. Havia cinza por toda parte.

Vi uma vida selvagem fora dos abrigos, vida austera dentro deles. Muitas pessoas para pouco espaço e comida.

Vi o eixo terrestre movimentando-se lentamente e Cidades Intras aflorando. Sujeira da superfície sendo queimada pelo fogo das lavas...

ASJ, 28/12/2003


Planetas que abrigarão exilados terrestres

Como de habito, concentramo-nos e logo após sai do corpo. Próxima a mim, sinto a presença do extraterrestre Ysh-Wam. A irradiar-se sobre nós, a luz e o brilho do Planeta Patrulha do Com.Yury. Sua possante força magnética suspende-nos no ar e voamos em direção ao espaço. Atravessamos a atmosfera terrestre e mergulhamos num círculo de energia azulada. Creio ter sido um "portal" de saída da Terra e está localizado em um dos pólos, creio que o do norte.

O astral mudou completamente depois que passamos pelo círculo azulado. Tudo ficou mais leve e suave, o ar mais fino, embora muito escuro. No entanto, enxergo ao longe, vendo vários sóis brilhando, piscando, explodindo. Seus movimentos parecem uma dança de rara beleza e dão a impressão de que tudo está vivo.

Continuamos viajando pelo espaço, agora mais livres, e sem a pressa de antes. O Planeta Patrulha do Com. Yury já não exerce mais tanta influência no nosso movimento e apenas uma tênue luz nos envolve, banhando nossos corpos. Ysh-Wam me pega pela mão e me conduz na viagem. Mentalmente ele me informa que vamos visitar planetas bem distantes da Terra.

Passamos por Júpiter e Saturno, saímos de nossa galáxia. Olhei-a de longe. Parecia leite derramado, cheio, cheio, salpicado de purpurinas douradas, brilhando aqui e ali. Visão simplesmente fascinante.

Novamente o Planeta Patrulha nos envolveu com a aquela mesma força-luz. Velozmente nos deslocamos até outra galáxia redonda. Ao nos aproximarmos, mergulhamos de cabeça e entramos em sua energia.

Atravessamos o espaço, passamos por nebulosas, estrelas, planetas, rochas flutuantes semelhantes a grandes montanhas vagando. Outras pareciam icebergs gigantes brancos, flutuando soltos no ar.

Esta viagem foi difícil de ser descrita para vocês, pois sequer a imaginei um dia. O que vi nunca passou por minha mente, mesmo em sonho.

- Chegamos - diz ele.

A minha frente, vi um planeta semelhante a Terra. Então, disse a Ysh-Wam: parece muito com a Terra.

- Entraremos em sua atmosfera. Deixe-se conduzir sem fazer perguntas ou questionamentos, pois estamos muito longe de Casa e devemos aproveitar nossa excursão. E continuou:

- Os momentos dolorosos pelos quais passará a Terra e sua humanidade haverão de marcar profundamente os espíritos que lutam por desvencilhar-se das paixões, oscilando entre a verdade e a dúvida, desejando não acreditar, porém acreditando. São criaturas de boa índole que, se permanecessem mais um tempo vivendo na Terra, conseguiriam, sem maiores sofrimentos, superar os estágios primitivos da evolução. Para esses, a Misericórdia Divina concederá um planeta semelhante denominado irmão, em que os Técnicos Siderais prepararão condições semelhantes àquelas existentes na Terra, para que, imbuídos de bons propósitos, essas pessoas possam regenerar-se e dar continuidade à trajetória de vida estabelecida pelo Alto.

As condições atmosféricas, edáficas (referentes ao solo) e hídricas do planeta propiciarão a construção de acordo com a tecnologia vigente hoje na Terra. Muitos dos equipamentos existentes na atual civilização terrestre, aqui serão reproduzidos.

- Paraíso edênico?

- Sim. Assemelha-se à imagem criada do paraíso, porém, nada mais é do que a natureza pura, ainda intocada pela fúria humana.

Também, mentes influenciáveis perturbadas para aqui serão trazidas em corpo físico, a fim de não enlouquecerem, destruindo pela "força opressora da violenta transição planetária" as células cerebrais do perispirito. Inconsciente de tratar-se de "novo planeta", estarão quase todo o tempo com a nítida impressão de viverem sobre a Terra.

- Irmão, eles não poderão voltar ao circulo vicioso de domínio sobre o planeta?

- Não, filha, pois os que viverem aqui serão selecionados antes. São apenas aqueles que já extinguiram do seu conteúdo genético espiritual os genes da violência, dominação e terror.

Sigamos agora para outro orbe que também receberá levas de decaídos ou exilados.

Tomamos novamente o rumo do espaço e entramos num círculo de energia vermelha ferruginosa. Tive a impressão de que era a aura incandescente de um astro. Notei que na atmosfera daquele astro havia fogo e calor. Contudo, esses elementos não nos atingiam, devido a proteção que recebíamos do Planeta Patrulha; além disso, não viajávamos em corpo astral.Em seguida, pousamos.

O planeta era seco, árido e vermelho. Ali não existiam seres vivos; nem plantas, nem animais, só terra seca, pedregulhos, areia. Só havia muitos vulcões e fogo em toda parte.

- Irmão, tudo isso aqui lembra o inferno. De onde vem essas imagens para minha mente? Nunca fui tão católica a ponto de tê-las comigo tão vivas.

- Não fostes recentemente, mas em vossa memória cósmica compreendeis o significado, segundo a apreensão e descrição realizada por mentes encarnadas, as quais foi dado conhecer e traduzir para as criaturas na Terra, as inúmeras moradas da Casa do Pai.

Alguns falharam nas suas interpretações trocando a fidelidade do que viram pelo interesse mesquinho, passando aos homens a idéia de um céu e um inferno para punição eterna, originando-se o poder de manipulação das consciências infantis e primitivas dos humanos recém-decaídos (exilados) de outros processos planetários.

- Quem virá para esse orbe?

- Os sedentos de sangue aplacarão aqui a fúria de sua perturbação, enquanto verão e sentirão queimar os miasmas e formas-pensamentos aderidas as suas mentes insanas (Provavelmente serão os vampiros, pois essa categoria de espíritos provocam todo tipo de situação onde haja derrame de sangue, sem contar nos ataques diretos as suas vitimas).

Logo após, rumamos para o Astro Intruso, o Hercólubus, pois o tempo urgia.

Pude vê-lo como se fora da Terra.

Havia animais semelhantes a macacos andando de pé, brigando entre si com pedras, pedaços de pau e outras armas rudimentares. Comecei mentalmente a fazer indagações, ao que Ysh-Wam percebeu e passou a respondê-las.

- Já são esses seres reencarnações das almas violentas que se exterminaram incessantemente, dando vazão à fúria enlouquecedora de sua natureza instintiva.

- São esses seres que, em nossas batalhas, vemos sendo retirados aprisionados em grades e depositados em Naves Prisões Espaciais?

- Sim. Muitos passam por um período de tratamento em nossas naves espaciais, onde suas características genéticas são trabalhadas com o intuito de se readaptarem em ambiente primitivo na matéria quando da próxima encarnação.

- Eles retroagem?

- Não. Nada involui. Apenas canalizamos a força bruta, violenta, de seus instintos, em modificações genéticas que lhes apresentam um fenótipo diferenciado do humano mais evoluído. Todavia, não involuem, dão apenas demonstração e vazão física dos seus instintos animais. Uma vez gasta essa energia primitiva, voltará o corpo astral à condição anterior e após nova fase de tratamento e avaliação, reencarnará novamente em tempo muito mais curto e com aparência semelhante a atual.

- Foi isso que aconteceu conosco na Terra, quando fomos exilados do nosso planeta de origem?

- Sim, filha. O processo é o mesmo e por isso houve na Terra raças distintas evoluindo em diferentes pontos de vosso orbe.

Quis fazer mais perguntas, porém ele disse:

- Retornemos! Por hoje é suficiente.

Ysh-Wam, 26/09/2003


Três planetas, três destinos interligados pelo descumprimento da Ordem e da Lei

Hercóbulus, o Planeta Intruso ou Higienizador, destina-se a receber, como já vos foi dito, uma parte da humanidade terrena, ainda aprisionada pelas inquietantes paixões carnais.

Ali, em meio a atmosfera ainda muito densa do planeta, darão vazão aos impulsos grosseiros, liberando na matéria os miasmas deletérios de suas almas.

Mundo constituído de vitimas e algozes, manterá o ciclo da roda cármica depuradora, que novamente lhes dará oportunidade de limparem-se das mazelas do espírito, até que possam transmutar suas vestes perispirituais.

Aquelas pessoas que forem destinadas a viverem no Planeta Novo haverão de ir ao Planeta Vermelho e ao Planeta Intruso, para prestarem o socorro caritativo que deveriam ter dado outrora, quando ainda viviam na Terra. Sofrerão muito ao contato das energias primárias e ao chamado da consciência; devido ao abandono de seus deveres espirituais, nos tempos mais cruciais que a Terra passou.

Ao contraste das vibrações, enfrentadas nos dois planetas distintos, sentirão o quanto poderiam ter doado de si e não o fizeram e, a cada instante, relembrarão com tristeza as oportunidades desperdiçadas.

Três planetas (o Planeta Novo, Hercóbulus e o Planeta Vermelho) e três destinos ligados pelo descumprimento da Ordem e da Lei.

Ysh-Wam, 18/10/2003


Numa cidade do Astral Inferior

Vi luz bastante intensa.

Minha cabeça, do pescoço para cima, parecia um abajur aceso. Tive a impressão de ter sido transportada para outra dimensão. Então, vi aproximar-se uma criança que, ao chegar perto de mim, estendeu-me a mão, como se me entregasse ou pedisse alguma coisa. Parecia um indiozinho, porém ao olhar para ele, vi como se fosse eu mesma aos 5 aninhos. Situação difícil de explicar, mas eu era aquela criança! Senti uma emoção fortíssima e rompi em choro convulsivo sem ver mais nada.

Obs: Nunca, em reunião, lembrei-me de perguntar a um dos Guias da Casa o motivo daquela vidência.

GESH, 20/10/2000


Residência da Feiticeira

Iniciei, após a concentração, vendo uma árvore murcha numa paisagem bem feia. Começo a andar e o ambiente revela-se com mais detalhes. Parece que estou numa cidade do Astral Inferior, pois tudo é escuro em tons de cinza forte, marrom e preto.

As vias são feitas de um material semelhante ao asfalto. As poucas árvores existentes são secas ou murchas, com pouca folhagem. O céu é nevoento e o ar carregado de uma vibração negativa forte.

Segui andando e vi seres humanos em cenas tristes e aterrorizantes. Aqui, um esfaqueamento; ali, mendigos em frangalhos; mais adiante muitos seres mutilados arrastando-se pelo chão, clamando por socorro sem que ninguém os notasse ou se importasse com eles.

Adentrei um dos prédios e deparei-me com cenas de sexo acompanhadas de luxúria entre um casal estranho. O homem era um ser humano já bem deformado, verdadeira besta. Possuía chifres e rabos, pés de caprino muito peludo e olhos de fogo. A parceira, ainda com forma humana, muito sensual e debochada. O ambiente onde estavam era todo vermelho e a energia que ali havia era pesada, negativa e asfixiante.

Continuei andando e cheguei ao final de uma rua que terminava numa ladeira. Desci e lá embaixo havia um bosque assustador. Árvores enormes, feias e murchas, cheias de galhos finos e compridos que se entrelaçavam formando uma rede seca e morta. Em volta, vários seres andavam como mortos vivos, lembrando zumbis, e davam a impressão de terem a mente sob o controle de "alguém".

GESH, 20/10/2000


Atacando crianças das localidades vizinhas

Na segunda parte da concentração, fomos orientadas, por um Instrutor que nos acompanhava, a seguir pelo bosque, avançando sempre em direção ao centro daquela região. Para isso, era preciso atravessar cercas de arame farpado, dispostas em linhas concêntricas em volta do bosque.

A medida que avançávamos, íamos nos deparando com imagens horrorosas. Uma cabeça decepada com longos cabelos lembrando uma mulher. Estava, sem o corpo a vista, pendurada na cerca. Um corpo enforcado, balançando no galho de uma das árvores. Pedaços diversos de corpos humanos espalhados por toda parte e outros quadros macabros.

Continuamos a caminhada e passamos por um lago lodoso, que lembrava areia movediça. Dentro dele estavam várias pessoas enterradas até o pescoço. Homens as torturavam, arrancando-lhes os olhos, ferindo seus rostos. Aves de rapina, em vôos rasantes, mergulhavam bicando aqueles infelizes. Cenas horríveis, apavorantes mesmo!

Ao chegarmos ao centro do bosque, encontramos uma bruxa mexendo um grande caldeirão, fazendo uma poção. Lá pelas tantas, chegou um zumbi, trazendo uma criança encarnada, desprendida do seu corpo físico. A criança foi colocada sobre o caldeirão e ali ficou flutuando sob efeito de alguma magia, de forma que o vapor que subia do caldeirão a envolvia por inteiro.

Observei que havia poucos seres no comando e muitos sofredores subjugados. Quanto aos ataques a crianças encarnadas, soube que está sendo preparado um plano de invasão da cidade que parece chamar-se Amelim, situada no astral inferior.

Todos nós fomos convocados para o trabalho de limpeza dessa cidade, quando será feito o resgate de todos os espíritos sofredores, libertação dos que ali se encontram presos e escravizados e, ao mesmo tempo, se dará a prisão das almas que comandam o local. Após tudo isso, será feita uma faxina no lugar, para que seja recuperado o vigor.

Já se encontra sobre o bosque uma nave extraterrestre para efetuar o resgate.

GESH, 20/10/2000

Dias após, recebemos a seguinte comunicação:

Abençoados os que trabalham em nome de Jesus.

Irmãos, durante muito tempo ainda ouvir-se-á falar da Bruxa de Emerlyn.

Em cidade do astral inferior, situada às margens do Rio das Mortes, próximo à Aldeia dos Índios Xavantes, ali existiu o reduto da famigerada feiticeira.

Aglomerações indígenas nocivas e combates sangrentos entre indígenas e entre brancos e índios, forneceram os ingredientes necessários para que a infeliz criatura iniciasse no local a construção de um reduto de dor e sofrimento, que mais tarde seria retroalimentado pelo conjunto de forças negativas interessadas em ali instalarem-se, destruindo as vibrações do lugar.

As crianças que vocês socorreram eram da pobre e inocente infância indígena daquela região. Esse passo foi decisivo para a intervenção das Forças do Bem, pois o grupo de seres que ali ancoraram suas almas constituem legítimos representantes da Nova Era de Amor que deverá imperar na Terra.

Nada do que foi realizado infringiu as Leis Divinas. O livre arbítrio diz respeito à Lei de Liberdade restrita às atitudes e conseqüências relacionadas ao próprio ser ou aqueles de sua relação carmica.

Obs: Nesse ponto a mensagem foi interrompida, todavia, creio que a comunicação do Irmão Francisco no mesmo dia veio dar prosseguimento ao assunto, se é que não foi o próprio que havia iniciado a mensagem.

Sem identificação, 28/10/2000


A Bruxa de Emerlyn

Por muito tempo ainda se ouvirá falar da Bruxa de Emerlyn.

De muito longe, muitos seres vinham buscar seus serviços contratando magias que pudessem realizar atos desejados, tanto por seres encarnados, quanto por aqueles destituídos de seus corpos de carne.

O ódio, a vingança e o sangue que regaram aquelas terras no passado, representaram a matéria prima para a construção da cidade que ora vos relatamos.

Inspirada por seres trevosos, trabalhadores direitos do Grande Dragão, a Bruxa de Emerlyn instalou-se no local e lentamente iniciou o trabalho de construção de seu reduto.

Logo seus trabalhos tornaram-se conhecidos e, como pagamento aos préstimos, buscou sempre alimento para manutenção e expansão de seus domínios, bem como para proteger e manter as baixas vibrações que lhe permitiam desenvolver mais e mais suas técnicas de bruxaria, suas atividades macabras.

Começou então, a mando dos seres que chamais Reptilianos, a utilizar-se de poderosos feitiços, envolvendo as crianças reencarnadas nas aldeias circunvizinhas. Crianças estas destinadas a reconstrução futura deste planeta destituídas, portanto, do carma que justificasse tal sofrimento.

Ignorante das Leis Divinas, distanciada em seu coração de tudo aquilo que diz respeito a Lei do Amor, de Bondade e Justiça do PAI MAIOR, esta feiticeira iniciou o ataque às crianças durante o sono dos pequeninos, arrebatando-as dos seus lares, conduzindo-as ao centro da sua cidade, onde então desenvolviam-se nefandos trabalhos.

Quis a Providencia Divina que o sofrimento e desespero dos seres ali aprisionados e que a interferência entre os inocentes tivesse fim.

Para tal tarefa, fostes convocados a lutar, desmontando a "Organização Trevosa" ali instalada. Com êxito, realizamos o empreendimento, que envolveu também o socorro aos mutilados que se encontravam aprisionados, banindo definitivamente do orbe terrestre as mentes coligadas, representantes do Comando Satânico da Terra que ali atuavam, contrários à Vontade de Deus.

Que vossas mentes e vossos corações possam encontrar-se em jubilo na compreensão do serviço redentor realizado no socorro a seres em extrema carência vibracional e que levarão ainda muito tempo para se recomporem e recuperarem as energias perdidas e sugadas naquela maldita cidade.

O interesse maior era provocar doenças nos corpos físicos das crianças daquelas aldeias xavantes, gerando descontentamento e desunião entre os índios, minando-lhes a força espiritual, a fé e a crença, abrindo portas para entrada de energias que, igualmente violentas, arrebatariam de vez toda possibilidade de reequilíbrio dos grupos instalados na região.

É da vontade do PAI que, ainda por algum tempo, aquelas terras pertençam aos índios e que estes por algum tempo guardem os segredos a eles destinados.

Nada nem ninguém, neste ou em outros Universos é capaz de suplantar o Poder do PAI, Presente e Atuante em Todas as Esferas de Todos os Universos.

Salve a Força, o Amor e a Luz que nos reuniram nesse trabalho.

- Aqueles que desejarem esclarecimentos, responderemos se nos for possível fazê-lo.

P – Quando foi realizada essa batalha?

R - Durante esta madrugada (de 27 para 28/10/2000).

P - Será que está justificado aquele meu desejo de irmos (quando estávamos na aldeia) até o Rio das Mortes? Em minhas concentrações no GESH, em Vitória, eu vi mentalmente em duas circunstâncias, trechos de um rio. Numa delas, um jacaré saía da água para repousar na prainha. Quer dizer que a vidência, era um despertamento para a realidade que iríamos enfrentar?

R – Perfeitamente. Mais facilmente seríeis colocadas em contato com a realidade do Astral Inferior da cidade da Bruxa, local bem perto do Rio das Mortes.

P – Significa que ela fez dali, um lugar já tão imantado por tantas mortes devido a intensos combates ali acontecidos, o seu QG, construindo, no seu astral inferior, sua cidade subterrânea?

R – Nenhum ser sozinho teria tanta força, porém interesses comuns ligaram-na, dentro dos seus intentos, aos seres que vosso Grupo já conhece.

Feita essa ponte de energia negativa, tornou-se fácil a realização do planejado por essa irmã infeliz.

P – Há quanto tempo, mais ou menos, essa nossa irmã vivia praticando esse tipo de atividade? Pergunto-vos porque esse nome é conhecido por mim e creio que ela já trabalha no mal a milênios.

R – A existência desse ser, até onde temos conhecimento do que nos foi ofertado para realização dessa tarefa, data de 500 (quinhentos) anos passados. É confirmado que anteriormente já atuava em outro lugar. Entretanto, para nosso interesse atual, bastam os últimos 500 anos. Foi-nos dado conhecer apenas as informações pertinentes a este caso, portanto, procede 500 anos de atuação.

P - Obrigada meu irmão. Que Jesus nos abençoe, renovando nossas forças, fé e coragem para as próximas lutas. É o Irmão Francisco quem nos fala?

R - Sim. Constantemente acompanho este canal nas viagens que fazeis.

Irmão Francisco, Vigília em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha, 28/10/2000


Visita de Agradecimento

- Quero que meu filho consiga êxito na tarefa que ele se propôs realizar naquelas tribos.

Margarida – O irmão é o Cacique José Wary, pai do nosso amigo, o Cacique Suptó?

JW - Sim. Neste pouco tempo que o céu me permitiu chegar nesta Casa, quero dedicar a vocês todo meu sentimento de gratidão pelo que tem feito pelos meus filhos de lá.

M – Não precisa agradecer, irmão. É obrigação de todos nós ajudar os pequeninos de Jesus.

JW – Eu os conheço muito bem. Eles são muito simples, mas eu sei porque eles estão ali e não posso falar tudo que sei.

M – Os Xavantes precisam estar ali nesse momento, mesmo que a maioria não saiba o porquê.

JW – Aquela terra esconde muitos segredos e aquelas criancinhas precisavam estar ali agora.

M – Para continuarem a proteger a Terra Sagrada.

JW – Precisavam nascer ali. Não é só privilégio, é necessidade, responsabilidade. Por isso são mansos, pacíficos e alegres. Para reencarnar ali, são escolhidos a dedo, não é qualquer um.

M – Como é o caso do seu filho, que é a reencarnação de um lethano?

JW – Não pense que é só meu filho, não.

M – Eu disse para uma pessoa de lá, da cidade, que se os brancos invadirem aquelas terras, será o principio do fim.

JW – O homem branco deveria se afastar ao máximo. Mas não pode ser afastado à força, e sim tocado em sua consciência.

Agradeço a oportunidade a vocês. Não tenho permissão para ficar muito tempo.

M – Nós é que ficamos muito alegres com a sua visita amiga.

JW – Que aquele que está lá em cima guarde todos vocês.

Cacique José Wary (espírito), Pai do Cacique Suptó, em 08/11/2000

Nota: Para aqueles que não sabem, estivemos duas vezes entre os Xavantes, na Serra do Roncador, Mato Grosso-Brasil. Fizemos contato com uma das tribos, chefiada pelo Cacique Suptó, que junto com o povo da sua aldeia, tornaram-se nossos amigos.

O Cacique José Wary foi pai do Cacique Suptó e encontra-se no plano espiritual.

Margarida


Sois desbravadores de Finais de Tempos

Sois os desbravadores modernos.

Desbravais as consciências preguiçosas e inermes a despertarem para a trajetória que vem percorrendo, com mais erros que acertos.

Divulgais sobre as diversas formas de vida inteligente que habitam o planeta e fora dele e da realidade da vida astral.

Sois os desbravadores de finais de tempos, lançando aos olhos vulgares, o que há muito já deveriam conhecer.

Corajosas Guerreiras, sois vitoriosas e, sob a égide de Ramatis e do Amoroso Jesus, segui em frente. Paz sempre.

Hercílio Maes, 26/06/2004


Eu sou a Luz do Sol que vos aquece a alma

Filhas amadas!

Há muito tenho vos buscado. Por que esquivais de Mim? Acaso não sentis a Minha Doce Presença? Limpai o filtro dos vossos corações a aí Estarei.

Vida após vida, tenho tentado conduzir cada um de vós em especial, irmãos Meus, a caminhos regeneradores, mas vindes relutando rebeldes, contra a Suave Força que grita em vossas consciências.

Tenho amor por vós, o mesmo que Eu gostaria que tivésseis por Mim.

Eu Sou a Luz do Sol que vos aquece a alma.

Não há nenhuma força negativa que possa vos alcançar, caso decidis Me aceitar.

Eu Sou a Paz e o Amor que buscais ansiosos.

Tendes praticado toda sorte de iniqüidade contra vossos irmãos em humanidade, esquecidos de Mim que Sou o Perdão. O vosso orgulho e rebeldia vos impede de Me enxergar.

Estou convosco e convido-vos a mudanças!

Aqueles que já despertaram, busquem trabalhar no despertamento daqueles que ainda permanecem renitentes nas trevas.

Eu Sou a Luz e Iluminarei vossos caminhos. Vinde a Mim, Eu Sou a Vida.

Um pensamento sincero em Minha direção e Eu vos conduzirei a Casa do Meu Pai que está nos Céus.

Sananda, 06/08/2004


Estaremos sempre divulgando, através dos meios disponíveis ao nosso alcance, mais esclarecimentos a respeito de nossos Irmãos Maiores de outros planetas e do Interior da Terra. Estas informações são de domínio público e podem ser copiadas, no todo ou em parte sem prévia autorização, para distribuição gratuita e desde que não seja alterado o sentido. Fica também autorizada sua tradução para qualquer idioma, para o que solicitamos apenas o envio de uma cópia para nossos arquivos e posterior divulgação. É proibida a comercialização destas informações.

Nossas obras: Pétalas de Luz; Os Extraterrestres e Nós, Vols. I e II; Cidades Intraterrenas – O Despertar da Humanidade em conjunto com a 2ª edição de Os Intraterrestres de Stelta; e, em breve, o lançamento de Os Extraterrestres e Nós, Vol. III - Os Decaídos e Sua Trajetória Terrestre;




RETORNAR ÀS MENSAGENS E DIVULGAÇÕES
ENTRE EM CONTATO CONOSCO AGORA MESMO!
Todos os direitos reservados ao Grupo Espírita Servos de Jesus | 2017
FBrandão Agência Web