47

Divulgação 47

15/04/2008

      A+ A-


Aos leitores amigos e companheiros de jornada nesta longa estrada que se chama vida, muita paz, saúde e alegria.

Com vocês, a Divulgação 47, a primeira de 2008. Que desperte em seus espíritos a busca incessante do Bem, a prática constante da Caridade e a Fé inabalável na Justiça de Deus, haja o que houver, mesmo que a dor nos encontre no caminho. Lembremo-nos sempre que estamos encarnados num mundo de "Expiações e Provas"; daí, não haver felicidade completa nem em nossa casa e nem na casa do vizinho.

Um dos Instrutores do GESJ disse-nos o seguinte: "Mesmo que façamos parte do trigo, não estamos isentos da dor..."

Sábias palavras que pedem uma reflexão profunda daquelas pessoas que perdem o equilíbrio emocional diante de situações difíceis e de dor intensa e, por conseqüência, perdem a fé, que, se já era menor que uma "semente de mostarda", acaba por desaparecer completamente.

Irmãos, lembrem-se que o Pai não nos dá uma cruz que não possamos carregar e o Amado Jesus acrescenta: a cada um, segundo seu merecimento. É tempo de reflexão diária nos Ensinamentos do Mestre dos Mestres, pois já estamos vivendo os "Tempos Chegados"

Neste número, apresentamos o seguinte:

1 – Helena Blavatsky: Suas últimas comunicações no GESJ;

2 – A descoberta de mais uma Cidade Intraterrestre;

3 – Os Trevosos não nos dão trégua;

4 – Mensagens diversas.

Em tempo: Leiam a obra do Mestre Ramatis, com a participação de Atanagildo: "A Vida Além da Sepultura" (particularmente, o capitulo – Noções Gerais sobre o Astral Inferior). Como complemento, as de Ranieri: "O Abismo" e "Sexo além da morte".

Será uma contribuição para entenderem melhor o que estamos vivenciando na superfície do planeta nos dias atuais.

Que muitos ainda consigam abrir os olhos, despertando, enquanto há tempo.

Margarida


1° Tema – Helena Blavatsky: Suas últimas comunicações no GESJ;

O Trabalho corrige, ajuda, renova e ampara todos nós

Estive encarnada, contemporânea do irmão Rivail (Allan Kardec). No planejamento de minha reencarnação foi previsto o serviço medianímico e assistencial que auxiliaria na consolidação dos preceitos doutrinários, codificados pelo Mestre Lionês.

Equivoquei-me e abandonei o compromisso ofertado, e aceito espontaneamente, por meu espírito devedor.

Os seres humanos apegam-se, demasiadamente, ao tempo de uma encarnação. Ignorantes, desconsideram que o tempo é imaterial e, portanto, não se restringe ao breve período de uma vida.

A história dessa humanidade demonstra que as idéias surgidas em determinado período são facilmente suplantadas por novos conhecimentos e experiências. Estas, por sua vez, comprovam ou rejeitam as teorias condensadas pelo pensamento humano, ainda frágil e de pequenino alcance.

Para compreender e alcançar o verdadeiro sentido da vida, os seres humanos necessitam peregrinar pela estrada do conhecimento, produzido por sua história humana, analisando à luz da consciência desperta, o degrau evolutivo em que se encontra, e como avançar na escala de progresso das humanidades e dos mundos instituídos pela Sabedoria Divina.

Muitos defensores ardorosos de idéias ultrapassadas já enveredaram pelos atalhos de seus próprios erros, desvendando em si mesmos as imperfeições que deturparam o entendimento das verdades universais. Só as mentes aprisionadas pelo medo detém seus passos, acreditando terem alcançado a verdade absoluta. Somente o orgulho, lente desfocada da alma, pode dificultar por várias encarnações a visualização clara dos mosaicos de fragmentos da verdade eterna, lançados aos homens, para que desenvolvam suas mentes.

Desapegar-se das amarras da fração de tempo de uma encarnação é pré-requisito para alcançar conhecimento superior, que atravessa as fronteiras do tempo, permitindo que os erros sejam corrigidos, ajustando-se as rotas dos que erraram.

No meu caso, não apenas necessito corrigir o meu próprio roteiro de vida, como também devo fazê-lo com relação aos muitos indivíduos que influenciei com minhas meias verdades, agora, auxiliando-os a expandirem suas energias mentais na direção do desapego e da força do progresso que nos chama a novas e importantes escolhas.

Irmãos, qualquer que seja vossa condição espiritual e os erros que tenhais cometido, trabalhai, pois o trabalho corrige, ajusta, renova e ampara todos nós.

Helena Blavatsky, em 06/03/2007


Aqueles que se candidatam a servir como médiuns ou doutrinadores

Irmãos, que a Luz do Grande Mestre inunde a vós, fortalecendo-vos para seguirdes fiéis os Ditames Crísticos.

Aliar-se à Doutrina Espírita é compromisso sério na Lei do Progresso.

Aquele que se candidata a servir como médium ou doutrinador deve instruir-se nas obras do Codificador, para inteirar-se da responsabilidade e do grande comprometimento que virá assumir.

Deve também conhecer as normas reguladoras da Casa Espírita a que se filia, para não vir, mais tarde, ferir as normas disciplinadoras préexistentes à vossa presença.

Irmãos, os desequilíbrios multiplicam-se na vida profana onde labutais cotidianamente e a Casa Espírita é o refrigério para o encarnado, servidor do Cristo, haurir forças renovadoras que os sustentam na jornada terrena. Também é no ambiente de Luz, onde se realiza o intercâmbio consciente com as esferas invisíveis, que nos despimos dos valores individuais, em benefício da coletividade invisível, doando o melhor que existe em nosso íntimo em favor do próximo. Nessa doação voluntária em nome do Cristo, faz-se a sintonia com as Esferas de Luz, recebendo influências positivas e salutares dos Irmãos responsáveis pelo funcionamento do Agrupamento Espiritual.

Não é obrigatória a permanência de nenhuma criatura na lide com Jesus, mas aquele que voluntariamente permanece como candidato a Servo de Jesus deve submeter-se, sem rebeldia prejudicial a si e ao ambiente, às normas disciplinadoras do Grupo Espírita e seguir o roteiro Kardequiano.

As energias dos freqüentadores sadios resultam em benefício à coletividade invisível e à material; portanto, deixai de ser um doente da alma e esforçai-vos para pertencer ao quadro dos Servidores do Cristo.

Sede dóceis e humildes no trabalho com o Cristo e evitai as barreiras do desequilíbrio íntimo, para que possais absorver a energia positiva, distribuindo-a, por sua vez, ao próximo carente, pois do contrário, as benéficas energias do ambiente não poderão favorecer-vos.

Aquele que serve com desprendimento, exigindo de si e não do próximo, consegue progredir e superar os desígnios dolorosos da vida.

Salve a Luz que nos conduz. Jesus conosco hoje e sempre.

Helena Blavatsky, em 16/06/2007


Os equívocos da alma em trânsito são muitos

Irmãos, não é o conhecimento profundo da teoria doutrinária que libertará os espíritos mergulhados na matéria, ou não, dos desequilíbrios profundos.

Muitas vezes, o conhecimento acumulado sem ser processado pela mente, de modo racional, na compreensão clara daquilo que a mente absorve, provoca mais confusão e atraso ao espírito.

Médiuns e doutrinadores, aproveitai a oportunidade bendita que se apresenta a vós para buscardes o conhecimento, através daquilo que estudais, e, ao mesmo tempo, transformando e acalmando as labaredas íntimas, até o equilíbrio necessário à ascese.

Estudar, aprender e praticar os ensinamentos doutrinários deve estar acompanhado da real mudança íntima. É na manifestação do trabalho com sincera dedicação, apresentando as nuances da mudança ocorridas no modo de pensar, falar e agir em relação ao próximo e a si mesmo, que estareis consolidando a verdadeira transformação que vos elevará acima das mazelas humanas, retomando o fio condutor do Progresso.

Não vos coloqueis na posição de quem faculta favores, a quem quer que seja, ao vos dedicardes ao trabalho na Seara do Cristo. O maior beneficiado sois vós mesmos, posto que cada criatura percorre uma trajetória de acordo com o carma que tem a cumprir. Vossa presença nos trabalhos caritativos, amenizando o sofrimento alheio, é dádiva do Criador para convosco, pois aquele que sofre não está injustiçado, apenas colhe a semeadura imprevidente de suas ações. A intensidade do sofrimento é proporcional a sua culpa e, quando chegar o tempo de não mais precisar sofrer, a Providência Divina os alcançará, enviando-os a zonas de refrigério.

Portanto, vossa ação no socorro aos sofredores deve ser livre de preconceitos e imposições, pois sois também necessitados, sendo que o grau de vossa necessidade no momento é menor, porém, não apaga ou reduz vossa culpa.

Jesus, nosso Mestre e Amigo, conhecedor profundo de nossas almas, sustenta-nos e conduz-nos a caminhos que nos eleva e transforma o espírito devedor. Pratiquemos Suas Divinas Lições e amemos sempre a todos que se apresentem em nosso caminho, não nos esquecendo que cada um receberá segundo suas obras.

Irmãos, os equívocos da alma em trânsito são muitos, mas o roteiro a seguir é único: Jesus.

Segui-O e nada será obstáculo ao vosso progresso.

Muitas dúvidas percebemos em vossas mentes. Acalmai-vos!

O atraso na jornada não será resolvido em apenas um minuto de vida. Segui, passo a passo, sem correria, com boa vontade e sem temor, aprendendo e praticando as Lições do Mestre e, quando menos esperardes, estareis livres e amparados pelo Divino Salvador.

Amemos ao próximo como a nós mesmos e façamos a eles, aquilo que um dia fizeram por nós.

Que Jesus, o Divino Amigo, abençoe a todos.

Helena Blavatsky, em 17/11/2007


Revendo vidas pretéritas

Salve Jesus, o Mestre que nos guia os passos.

Irmãs, desejo apenas uma palavra amiga.

Sou Helena (Blavatsky), irmã, e como se aproxima a hora da minha partida, para reencarnar-me em outro planeta compatível com minhas necessidades, talvez por isso revejo minhas vidas pretéritas. Meu coração oprime-se, não de arrependimento por haver assumido o compromisso, ao contrário, é que, a alegria da nova oportunidade de poder redimir-me é grande e extraordinária.

Revejo-me em Atlântida, onde já possuía conhecimentos e com os sacerdotes comungava, mas caí nas malhas do egoísmo e do orgulho e afundei-me com ela.

No Iluminado Egito, obtive novas oportunidades.

Com o Mestre Lionês, quando ele envergou a vestimenta de druida, ali estava eu, tomando parte como neófita, é certo, mas absorvendo conhecimentos que seriam de fundamental importância para futura existência.

Revejo-me com o Mestre Ramatis, na Grécia, quando da sua encarnação como o extraordinário Pitágoras.

Também no Tibet, haurindo forças para a grande encarnação-chave, que seria aquela que perdi, minha irmã, por tolices.

Todas essas lembranças atormentam minha alma como fantasmas, provocando em meu íntimo sensações desagradáveis, após conhecer o extraordinário trabalho do Exército do Cristo (refere-se ao trabalho que é realizado no plano astral e que o GESJ participa intensamente), ao qual me integrei como se dali nunca tivesse saído, como se fizesse parte integrante há muito tempo deste Exército. É trabalho árduo, porém trabalho maravilhoso, daí vir a sensação de tristeza, minha irmã, por tomar consciência do tempo perdido.

Que outras criaturas, com o meu exemplo, possam evadir-se dos desvios do caminho do Progresso para não terem que abandonar, em exílio, o planeta amado. Se outrora aqui cheguei como decaída, não gostaria de partir como tal. E assim não me vejo, pois com os humildes conhecimentos, que foram motivo de queda para meu espírito, eles serão usados para o meu reerguimento ante o Cristo.

Peço-vos, irmãs, que oreis por mim, pobre alma necessitada.

Margarida: A irmã jamais será esquecida, principalmente por mim. Nós já estamos organizando todas as mensagens que a irmã nos transmitiu durante curto período desde outubro de 2006 até agora e vamos fazer um livrinho, que será mais um guia para médiuns e doutrinadores do GESJ. São mensagens extraordinárias, esclarecedoras, num tipo de linguagem que eu admiro muito: simples, precisa e entendível por qualquer pessoa que saiba ler.

Aproveito para dizer que mesmo a irmã já estando encarnada em outro orbe, o seu espírito que já percorreu longa caminhada sob o ponto de vista evolutivo, poderá, do planeta onde estiver, mediante o consentimento do seu Mentor, vir até nós de vez em quando, enquanto o GESJ existir. Trará sua palavra amiga e sensata, revelações do seu novo mundo, como fazem nossos irmãos extraterrestres.

Isso é uma sugestão, se for possível e permitido. Nós ficaríamos muito contentes sabendo que a irmã já está adaptada a outro lugar, mesmo sendo o corpo ainda de criança, pois sabemos que seu espírito é bastante lúcido e trabalhador.

Helena: Toda oportunidade de trabalho é bem vinda e tudo farei, dentro de minhas possibilidades e forças, juntamente com os meus Guias e Instrutores, para atender a solicitação, com muita alegria.

Um dia fomos irmãs no Tibet, e aquela encarnação, apesar de longínqua no tempo, o sentimento fraterno permanece. Agradeço a querida irmã, o impulso que me deu nesta hora nevrálgica para o meu espírito.

M: Foi na mesma ocasião que o Irmão Shama Hare foi o meu avô?

H: Sim.

M: Então, ele é também ligado à irmã e nós formávamos uma só família.

H: Ele me trouxe pela mão a esta Casa.

Agradeço, humildemente, ao Mestre Ramatis, ao querido Shama Hare e a vós, em especial.

M: Nós é que agradecemos, de coração. Em nossas lembranças, vamos sempre pedir a Jesus para que a irmã tenha êxito nesta nova oportunidade. Aquela etapa que devia ser completada aqui, a irmã, dessa vez, temos certeza, será uma vencedora com as bênçãos do Amoroso Jesus!

H: Se houvesse compreendido naquela época um milésimo do que compreendo hoje, estaria em outra etapa de vida.

Mas a vida continua e com alegria buscaremos servir para progredir.

Eu vos saúdo em nome de Jesus e agradeço a oportunidade de servir.

M: Nós também agradecemos em nome de Jesus, do nosso Mentor Ramatis e de todos os Trabalhadores do GESJ, essa oportunidade magnífica que tivemos também de reencontrá-la e das mensagens maravilhosas que nos ofertou. São lindas mesmo e não estou dizendo isso porque a irmã está presente.

Vai em paz, minha irmã.

Que as Forças Supremas do Bem, hoje e sempre lhe amparem até o final dessa sua empreitada evolutiva.

Helena Blavatsky, em 19/11/2007

OBS: Para os leitores que estão tomando conhecimento pela primeira vez das palavras de Helena Bravatsky, através de um canal = médium, leiam nossa Divulgação 43."

 


No momento da despedida

Eu vos saúdo em nome da Luz, do Mestre Jesus e do Mestre Ramatis a quem muito amamos.

Aproveito, irmãs, esta oportunidade para despedir-me de vós, embora o meu desligamento das atividades desta Casa seja realizado após as festividades de Natal. Mas não poderei mais comunicar-me devido a outras tarefas, as quais deverei concluir. Por isso, não poderei mais manifestar-me em vossa presença.

Agradeço pela oportunidade bendita que me ofertastes, quando meu espírito sequioso de compreensão e conforto, de energia e paz, aqui encontrou o oásis benfazejo de tranqüilidade e trabalho que fortalece o espírito.

Um futuro de intensas lutas e sacrifícios nos aguarda e em breve serei transferida para a psicosfera do novo planeta, onde habitarei. Todavia, ainda estou ligada a atividades em vosso Grupo e gostaria de emitir opinião acerca de desequilíbrios que vêm ocorrendo na mesa de trabalho mediúnico.

Venho acompanhando vossa equipe de médiuns e doutrinadores nas atividades diárias desta Casa e como já disse, o modo de distribuição das tarefas para cada um difere de tudo aquilo que já conheci anteriormente e a qualidade do atendimento para o espírito sofredor é muito melhor com o vosso método de trabalho. As interferências ocorrem, muitas vezes, porque os vossos médiuns mais desenvolvidos, cujas sensibilidades encontram-se exacerbadas pelo próprio trabalho realizado, pela dedicação com que enfrentam a tarefa, vêem o ambiente perturbado por muitas emissões de pensamentos desequilibrados por parte de desencarnados e encarnados, e, não conseguindo, algumas vezes, definir, com clareza, de onde partiu o pensamento emitido que chega a sua mente.

Somente vós, minha irmã, que podereis perceber a distorção e alertar para o incidente, pois os irmãos trabalhadores não poderão fazê-lo, por não possuírem essa sensibilidade de separação e avaliação do conjunto das atividades. Não ocorre em vosso meio distorções planejadas por parte de qualquer trabalhador; o que ainda existe é muita confusão mental e sentimentos necessitando ainda serem burilados para melhor atender ao trabalho. Nada que o desenvolvimento adequado da mediunidade e o estudo sincero e sistemático da Doutrina Espírita não possa corrigir.

Mas cada trabalhador deve ter em mente que, quando sentado à mesa de trabalho, nas atividades concernentes ao desenvolvimento mediúnico, na prática da mediunidade, deve esforçar-se ao máximo para concentrar-se no trabalho, evitando os pensamentos dispersivos do cotidiano, das lides diárias, das contendas familiares. É o exercício do domínio do pensamento e das emoções, e que deve ser feito constantemente por cada um, pois é no treino que se adquire a destreza e o controle.

Os ataques contra vós são de personalidades de alta inteligência e nenhuma moral, seres mergulhados há milênios na ignorância, no mal, nas torpezas vis da alma. Para que os trabalhadores não sejam atingidos, provocando distorções e desequilíbrios no trabalho, devem treinar o controle dos próprios pensamentos e sentimentos, principalmente naquela hora sagrada em que se dedicam à tarefa mediúnica. Toda a carga negativa lançada contra vós, é filtrada pela fortaleza do escudo de proteção que nos cerca e pelos Trabalhadores da Luz que ali permanecem atentos. Entretanto, o trabalhador encarnado possui a sua cota de responsabilidade na própria proteção e na manutenção do equilíbrio vibratório do ambiente.

Eis nossa singela opinião acerca dos acontecimentos recentes.

Margarida - Quer dizer que esta pode ser a última vez que a irmã se manifesta, não é mesmo?

Helena - Sim.

M - Nosso querido amigo Comandante Yury nos diz sempre que para os que amam e para a mente não existem barreiras e eu me aproveito dos dizeres dele para afirmar que entre nós não vai haver barreiras, mesmo a irmã estando reencarnada noutro planeta.

Se for permitido e possível, pode ter a certeza que nós estaremos lá, visitando-a, animando-a nas suas horas de saudades e de meditação. Pode ter certeza disso, só depende da permissão do Mais Alto.

H - Apegada a essa afirmativa, meu coração se enche de esperanças de que não haverá rompimento, nem hiato, nem separação definitiva entre aqueles que se amam.

Já sinto meu espírito desligar-se muitas vezes do ambiente em que permaneço, pela força de atração do planeta onde habitarei. São mecanismos complexos que nem mesmo sei definir, ou compreender ainda, mas já me sinto ligada àquele ambiente.

Obrigada, irmãos. Obrigada, irmã, amiga, pela oportunidade bendita que me ofertastes nessa hora suprema.

Agradeço aos Mestres adorados por não terem me abandonado, apesar do meu vacilo imenso.

Ao Mestre Lionês (Kardec), agradeço por todo o ensinamento que esclarece e fortalece a alma.

Eu vos saúdo em nome da Luz e despeço-me em nome de Jesus.

M - Não poderia ser de outra maneira, minha irmã. Nós também já estivemos lá, no fundo do poço, nas profundezas abismais, muito diferente da situação da irmã agora, que outros lhe estenderam as mãos. Creio que Mestre Ramatis e Mestre Shama Hare. Cabe a todos nós estender as mãos àquele que vem atrás e assim o faremos sempre que for permitido pelo Mestre Jesus que comanda nosso planeta.

Para a irmã, de todo coração, desejamos êxito, desejamos que seja plenamente vitoriosa.

H - Meu espírito está repleto de fé, de coragem e esperanças.

Salve Jesus!

Helena Blavatsky, em 08/12/2007

 


2° Tema – A descoberta de mais uma Cidade Intraterrestre;

Uma Cilada das Trevas

Vidência: Vejo indivíduos pequenos, muito brancos, que parecem intraterrestres. Mas não são amigos. Têm olhos muito vermelhos e estão raivosos, prestes a atacar-nos.

Dirigem-se a nós, falando sem parar, numa língua estranha. Tento comunicar-me com um deles, informando que sua língua não é entendida por nós. Eles têm a cabeça muito grande e orelhas também. Suas narinas são dois furinhos no rosto, no lugar onde seria o nariz, e a boca é muito feia, disforme.

Parecem lagartixas de pé. São apenas 5 deles que estão aqui.

Tentam emitir raios destruidores com as mãos. Eles, definitivamente, estão com muita raiva de nós e eu não consigo saber o porquê.

Nesse momento, chega nosso amigo intra, Orcadim e alguns representantes das cidades intraterrenas de Stelta, Letha, Okaí, Luz e Amor e de algumas cidades intra do sul do Brasil que conhecem nosso GESJ. Colocam-se visíveis para os seres "lagartixas". Um dos intras começa a me explicar o que está acontecendo e diz o seguinte:

A cor branca da pele deve-se a concentração de certos fluidos corporais aflorados para a posição de ataque em que os irmãos se encontram.

Tendes razão quando pensais tratarem-se de intraterrenos. A língua que ouvis é a língua usada por esses irmãos em sua cidade.

Toda energia deles estava concentrada na mente e prestes a ser descarregada pelos olhos e mãos, como raios elétricos.

Estão envolvidos por redoma de proteção que eles não percebem. Irmãos Superiores os mantém seguros e a salvo, mas também cuidam para que não vos feris. Foram reunidos e trazidos até aqui, pois seu alvo de ataque são os componentes do GESH.

- Por que, meu irmão, eles queriam atacar-nos? Quem são eles?

R - No momento só podemos transmitir-vos o resultado desse ataque. As razões da raiva e a origem desse povo, sabereis mais tarde.

Receberam passes magnéticos proporcionais à sua faixa vibratória e, pouco a pouco, vão ficando mais controlados, podendo nos ouvir.

Vamos nos apresentar e relatar nossa experiência de convívio convosco. Explicaremos as razões que os trazem aqui, nessas condições.

Já podemos adiantar que uma artimanha nefasta procurou jogá-los contra vós para deflagrar uma guerra, envolvendo Cidades Intraterrenas.

Breve revelaremos o que nos for possível.

Orcadim, em 01/01/2008


Não evacuaremos nossa Cidade

Inicia-se vidência referente à segunda parte da comunicação recebida por Orcadim em 01/01/08.

Vi Reptilianos fazendo-se passar por nós. Tinham externamente a aparência de cada uma das componentes do GESH. Eles se aproximaram de uma região que não pude precisar onde fica. Havia uma rocha, cujo terreno ao redor tendia para uma depressão coberta de vegetação. Depois do diálogo que ouvi, percebi com facilidade que era a entrada de uma "Cidade Intraterrena". Os seres parecidos conosco disseram:

- Evacuem sua cidade. Precisaremos dela para os trabalhos de atendimento aos humanos na transição planetária!

Do interior da Cidade, os habitantes ouviram as ordens e levaram-nas ao conhecimento do seu Conselho de Governo o que estava ocorrendo, Os Conselheiros vieram e responderam:

- "Não evacuaremos nossa cidade!"

Os Reptilianos disfarçados em Servos de Jesus, como se fossem nós, passaram a fazer provocações violentas e todo tipo de injúrias e mentiras para os habitantes, afirmando que iriam tomar a cidade e expulsá-los. Depois, saem correndo na direção da nossa Casa Espírita, e em determinado ponto desaparecem. (É preciso esclarecer que os Reptilianos, por instantes, tomam a forma que querem. Depois voltam a forma normal de réptil.)

Um grupo de 5 guardiões daquela cidade parte em disparada atrás deles; seguindo-os até nossa sede, para atacar-nos. São capturados por vigilantes do GESJ e conduzidos ao salão onde os vi pela primeira vez.

Após uma conversa muito séria, eles foram liberados para irem embora e informarem aos Conselheiros o ocorrido, esclarecendo tudo para evitar uma revolta daquele povo contra nós.

Mentalmente, peço mais esclarecimentos sobre o caso. Passo a ver novamente a cidade intra. Parece que há um "festival religioso" e um Ser de elevada hierarquia espiritual prepara-se para manifestar-se.

Vejo-o em processo de adensamento.

Instrutores afirmam que se trata do Dirigente espiritual daquela cidade. Informam também que, de fato, ocorrerá um festival onde esse Ser irá manifestar-se e os Conselheiros da cidade perguntarão sobre as informações que foram transmitidas para eles, aqui em nossa Casa. Percebo que estão ainda muito confusos com a situação que vivenciaram.

Agora, vejo que eles estão sendo liberados e pergunto se serão escoltados por nossos vigilantes. Responderam-me que intraterrenos recusaram a escolta armada que nossa Casa ofereceu a eles, e fizeram questão de voltarem sozinhos, ignorando a força maléfica dos Reptilianos e por ainda duvidarem da nossa sinceridade.

Pergunto novamente se não seria possível monitorá-los à distância, ao que os irmãos responderam que a vontade dos seres deve ser respeitada. Portanto, eles não poderiam ser vigiados, nem mesmo à distância, mas, que o risco de ataque era muito grande, pois, de longe, os Reptilianos acompanharam o caso e estavam revoltados por seu plano não ter dado resultado, no ataque violento que planejaram contra nós.

Ao vê-los retornarem em paz, poderiam partir para um ataque direto, provocando na cidade a impressão de que fomos nós que teríamos prejudicado os intras. Um instrutor continuou explicando:

- "Imediatamente após a recusa de serem escoltados, designamos trabalhadores capacitados para imantarem o caminho de volta; e, sem saber, eles serão reconduzidos por uma Força Maior, proveniente de seu Dirigente Espiritual, em consonância com nosso Mentor."

Em seguida, sobrevoando a região do Caparaó, vejo os limites da cidade e o sopé da montanha onde ela está assentada. Há uma depressão na rocha onde a cidade cresce. A água é abundante e cristalina, parecendo cristal líquido.

Recorreram aos Registros Akáshicos

Vidência: Vi que, no caminho de volta para casa, os seres intraterrenos foram de fato atacados por um grupo de Reptilianos, mas Guerreiros da Luz os enfrentaram antes que eles alcançassem os intras. Assim, retornaram ilesos.

Ao chegarem na cidade, depositaram no salão de suas casas as armaduras, que foram penduradas como roupas num varal. Depois, passaram por uma câmara de assepsia. Encontraram-se com seus familiares, onde manifestações de alívio e alegria envolveram todos. Em seguida, partiram ao encontro do Conselho Administrativo. Reuniram-se todos numa sala, em volta de uma grande mesa, onde foi feito o relato do ocorrido.

A cada relato eles entregavam um pacote que parecia ser uma chave de acesso direto aos Registros Akáshicos. Cada informação gerava um código de acesso a todas as demais relativas à informação original. Por exemplo: durante o diálogo que o Intra teve com Dona Margarida, ele capturou um pouco da energia dela, pois quando apresentou o pacote de energia ao Conselho, essa informação abriu o Registro Akáshico e eles tiveram acesso à história dos principais acontecimentos da vida de Margarida, principalmente no que diz respeito ao GESJ.

Outro pacote que vi sendo "aberto" foi sobre cada intraterreno que se apresentou a eles, bem como suas respectivas cidades. Naquela hora, o Dirigente do Conselho ficou muito emocionado ao ver outras criaturas e cidades intras. Afirmou no momento que, se, de fato, as informações forem verdadeiras, eles fizeram uma descoberta extraordinária.

Naquela reunião eles decidiram levar tais questões ao conhecimento do Dirigente Espiritual Superior da Cidade, durante as comemorações do festival que estava próximo.

Em 05/01/2008


Comprovaram que falamos a verdade

Quando necessário, esses irmãos vestem roupa especial, cuja modelagem ao corpo permite a absorção total e distribuição das energias corporais para pontos estratégicos como mãos e olhos. A energia concentrada em partes do corpo permite a plasticidade comandada pela mente, forjando as armas de acordo com a necessidade e, dessa forma, os guerreiros e guardiões da cidade encontram-se aptos a defendê-la em qualquer tempo e lugar.

Enquanto isso, o restante do corpo entra numa espécie de hibernação e é mantido apenas por um gerador temporário que permite seu funcionamento normal. Entretanto, esse sistema não permite que os irmãos se mantenham em combate durante longo período de tempo, sendo este seu ponto fraco. Por outro lado, seu sistema de defesa é versátil e poderoso, sendo esta sua vantagem sobre o inimigo.

Contudo, podemos adiantar que se trata de um povo pacífico, cujo estágio evolutivo já superou os confrontos belicosos por disputas mesquinhas. Hoje, destina-se somente à preservação de sua integridade e de sua cidade.

Por viverem neste planeta, ainda necessitam enfrentar adversidades, como todos os que aqui se encontram reunidos, pois esta é a finalidade espiritual do orbe.

Vosso intercâmbio com os novos amigos está apenas começando e muitas informações vos serão ofertadas para que possais divulgar ao mundo a pluralidade de povos vivendo em vosso orbe e fora dele.

Jesus, infinito em bondade e doçura, vela por todos nós e cuida para que todos tenham a oportunidade de despertar e seguir pela senda da luz, do amor e do perdão.

Elevai o pensamento a Deus, irmãos e agradecei pela Obra do Criador! Paz e Ventura governam nossas vidas.

Shama Hare, em 05/01/2008


Lemur, a cidade intra

Os lemurienses tornaram-se um povo desprovido de malícia. Desenvolveram-se a partir das noções de fraternidade preconizadas pelo evangelho e reergueram uma nova civilização com auxilio da espiritualidade superior que os conduz até hoje e com a qual encontram-se em permanente comunicação. Muito de sua tecnologia decorre das tradições herdadas de seus ascendentes, habitantes da antiga Lemúria.

Mas os irmãos não têm lembrança/consciência de sua origem ou de sua cidade originária. Até o momento, esse aspecto de sua história mantém-se sobre o véu do esquecimento e no decorrer da nova fase em que entram agora, pouco a pouco ampliarão sua lembranças, pois é chegada a hora do despertar para todos.

Por essa razão foram escolhidos pelos reptilianos, pois acreditaram que a ausência de malícia tornaria-os presa fácil e o esquecimento do passado deixaria-os a mercê de sua interferência nefasta.

As armadilhas do orgulho desarmam os presunçosos, pois, confiantes na sua suposta superioridade, esqueceram-se de considerar a presença do Criador e da eterna vigilância amorosa que dedica a seus filhos amados.

Não há criatura desenvolvida sobre esse orbe que não tenha o olhar amoroso do Criador pousado sobre ele e a mão firme e segura a guiar-lhes o destino.

Elevai o pensamento, irmãos e agradecei pela obra da criação.

Paz e ventura nos governam.

Shama Hare, em 05/01/2008


Vidência
: Vi representantes intras. São representantes das várias cidades intraterrenas que se unem e formam um único conselho. Debatem sobre a melhor forma de encontro com outros seres intras e qual cidade poderia ser a sede desse encontro.

Mais amigos intraterrenos

Saudações a todos!

Somos seres intraterrenos. Passamos por uma situação inesperada que gerou uma experiência nova para nós.

Estamos com vocês agora, compreendemos o que ocorreu e queremos desculpar-nos pelo jeito ameaçador de nosso primeiro encontro.

Sabemos agora que nosso verdadeiro inimigo é outro e queremos unir nossa força de trabalho e luta do vosso grupo.

Desejamos firmar laços de amizade convosco e que sejam tão bonitos, com a mesma devoção, quanto os que vimos observando entre aqueles que convosco já trabalham.

Temos pouco a oferecer de nós, mas o que fazemos é com a sinceridade e simplicidade de corações devotos ao Criador e à sua Criação.

Arcot (Sumo Sacerdote da Cidade Intraterrestre de Lemur),

em 05/01/2008


Diálogo com Arcot – Sumo Sacerdote de Lemur

Congratulações, amigos!

Neste tempo em que estivemos em contato com os novos amigos, conhecemos novas realidades e fizemos muitos avanços que desconhecíamos. Retornaremos para nossa Cidade repletos de novidades que levaremos aos nossos irmãos, como dádivas em benefício do progresso de toda comunidade.

Palavras não poderiam traduzir o sentimento de gratidão que nos invade a alma nesta hora, certos de termos formado laços de amizade sincera.

Despedimo-nos de vosso Grupo e também nos dirigimos aos nossos "novos amigos" que nos assistiram ao longo desses dias e nos abriram as portas de suas Cidades (Stelta, Letha e Okay) para que conhecêssemos outras realidades e confraternizássemos com irmãos nossos.

Margarida: O irmão poderia agora dizer, para nós, onde fica localizada sua cidade? Qual região do Brasil?

Intraterrestre: Conforme a irmã já intuiu e percebo que vossa intuição é parte do desenvolvimento de vosso espírito, diretamente ligado à mente do Mestre Ramatis, captando a região onde nos encontramos. Nossa Cidade, em sua maior parte, fica situada sob o solo do estado que em vosso mapa denomina-se Minas Gerais, e o restante fica no ES. Para isso, vim ter convosco, irmã e, de viva voz, convidá-los a estarem conosco, da mesma forma que fomos recepcionados e apresentando-nos às Cidades que conhecemos agora.

Gostaríamos que aceitásseis o humilde convite para adentrardes igualmente a nossa cidade, que também é vossa, para conhecerdes e apreciardes o que temos a ofertar, vindo de um povo simples, mas muito amoroso. É um local onde reina alegria e harmonia entre os seres, os quais já aprenderam as lições do amor ao próximo e do respeito recíproco.

- Queres dizer, meu irmão, que a humanidade de lá vive em nível vibratório superior a nossa aqui da superfície...

I: Pelo que já pude compreender é assim, muito embora diante das demais cidades que visitamos, ainda estejamos um tanto quanto atrasados. Em relação a vossa sociedade, estamos mais bem organizados e já superamos a fase da belicosidade e outros sentimentos inferiores que ainda dominam vossa humanidade.

M: Nós iremos, se Deus quiser. Vamos fazer uma vigília naquela região, na base da Serra do Caparaó... ou antes mesmo, nas nossas horas de sono. Nossos Irmãos Superiores é que vão decidir e preparar nossa caravana; mas, que estaremos lá, estaremos.

I: Há planos, pelo que já fomos informados, de que visitareis nossa cidade, conhecendo os vários setores e nossa organização, para divulgardes entre os vossos. Este trabalho será realizado da mesma forma que fizeram nesta tarde: com a mente. Trabalho que se chama mediúnico. Estamos ao vosso dispor e com grande alegria sereis recebidos em nossa Casa. Nós vos saudamos e ao vosso Mestre Ramatis, agradecidos pela oportunidade de convívio e, após este dia, já saberemos como melhor vos agradar.

M: O irmão poderia deixar o vosso nome para nós?

I: Arcot!

M: Ah! É o mesmo que esteve aqui da vez passada!

Arcot: Sim. Em vossa linguagem, significa uma espécie de Sumo Sacerdote da cidade.

Saudações amigas vos deixamos.

M: E leve também para seu povo nosso carinho e amor. Nossa Colônia está a disposição para todos que queiram visitar-nos.

A: Um só povo, uma só raça, um só governo. Paz entre os homens!

Em 05/01/2008

 


3° Tema – Os Trevosos não nos dão trégua;

A ousadia das Trevas não tem limites

Vidência: Incorporei uma mulher que ainda sofria os instantes angustiosos de sua morte. Através de seus olhos pude ver que se encontrava em um prédio muito alto. Ela olhava pela vidraça de uma janela ampla e, do lado de fora, eu via um avião que vinha de encontro ao edifício. Aproximou-se mais ainda do vidro, incrédula do que via, quando, de súbito, houve uma explosão e estilhaços de vidro voaram em sua direção, ferindo-lhe o rosto e os olhos. Ficou cega e congelou-se em sua mente esse estado de desespero e aflição.

Nesse episodio, tive forte impressão de ter presenciado, pelo lado de dentro, o atentado terrorista ao World Trade Center, ocorrido em setembro de 2001 nos EUA. Comecei a sentir fortemente a presença de Ranieri, elucidando que, de fato, havíamos socorrido uma vítima daquele atentado e ainda havia outra para ser atendida. Concentrei-me novamente e, dessa vez, incorporou uma mulher, passageira do avião que se chocou contra as "Torres Gêmeas". Terror e angústia dominavam aquele espírito. Na aeronave havia muito sangue, antes mesmo do choque.

Vi muitos corpos espirituais, levitando no plano astral como fantasmas, no local dos atentados. Espíritos desesperados pulando dos prédios em chamas. Gritos de terror, desespero e muito choro. Há uma energia forte e negativa no lugar, como se o tempo tivesse parado, congelando na psicosfera o terror e o ódio.

Em seguida, vi também subir do chão três edifícios de cor branca suja; rasgavam a terra parecendo vir das profundezas dos abismos, pois estavam carregados de vibrações negativas.

Erguiam-se, envolvidos por densas nuvens escuras. Possuíam antenas que concentravam forças deletérias, criando uma psicosfera de forte energia ruim naquele local.

A presença do irmão Ranieri tornou-se mais forte e percebi suas palavras, que chegavam claras em minha mente. Passei, então a escrevê-las:

As raízes do Terrorismo

Que a paz do Senhor dos Mundos nos envolva!

As raízes do terrorismo são mais profundas do que supõem as mentes encarnadas.

Explosões violentas de ódio possuem efeitos devastadores nos planos invisíveis do planeta e são capazes de criar aberturas, através das quais outras dimensões se entrecruzem, podendo até se manifestarem nesse plano em que nos encontramos (astral).

Não é em vão que, cuidadosamente, a perversa mente da "Besta" elege os pontos estratégicos para destilar seu veneno, usando mentes encarnadas em sintonia com seus anseios de violência e poder.

Abrem-se, desse modo, no espaço invisível aos olhos humanos, locais de manifestação das forças negativas. Torres projetadas de dentro de cidades localizadas no astral inferior encontram caminho até a crosta, auxiliadas pelas explosões de ódio e pela força vital emanada dos espíritos despreparados e imprevidentes imantados nesses locais.

Não podemos simplesmente retirá-los, pois a força que os imanta é diferente dos processos obsessivos corriqueiros.

Três torres já despontaram na crosta e recebemos do Pai a tarefa para desarmar os mecanismos que as sustentam e desmontar a "central de forças" que as originaram. Só então recolheremos os espíritos doentes, encaminhando-os para os hospitais no astral, a fim de receberem tratamento adequado.

Apresento-me, pedindo as bênçãos do Mestre Ramatis e o concurso das "equipes de trabalhadores" desta Casa para a realização do trabalho.

A ousadia das trevas não tem fim: além de não se renderem à Força Maior, acreditam poder vencê-la. Avançam, utilizando estratégias de fortalecimento de seu domínio sobre os incautos humanos.

Do Grande Coração virão as forças de que necessitaremos para enfrentar e concluir com êxito nossa tarefa. Paz a todos

Ranieri, em 09/05/2007

Nota: O irmão Ranieri é autor de excelentes livros como: O Abismo, Sexo além da morte, Materializações Luminosas e outros. Todos escritos quando ele ainda vivia no plano físico.

O mal causado pela violência, proveniente do ódio acumulado e vingança realizada, não se manifesta somente no plano físico; estende seus tentáculos devastadores, também nas regiões astrais.


Aquele que vacilar será abatido

Vidência: Num salão, em algum lugar do astral inferior, vi um trabalhador das trevas reunido com seus asseclas. Todos pareciam ser vampiros, aos quais ele transmitia algumas instruções sobre ataques a encarnados com tendências ao suicídio. Dizia o seguinte:

Irmãos, somos uma "organização poderosa" e nosso poder reside no serviço que prestamos ao Senhor das Trevas.

Alimentamos de energias os Exércitos da Escuridão e lá ancoramos nossas forças. Aquele que vacilar, será abatido. Aquele que servir com vontade, será recompensado.

Recolham os fracos, perturbem os indecisos, estimulem os ambiciosos, usem de todo artifício para ceifarem vidas inúteis. Vivos, são candidatos a redenção. Mortos, são nossas presas por direito, pois arrancaram à força o sopro de suas vidas, renegando, pelo seu ato, o Criador.

Ceifeiros, vocês serão bem mais gratificados quanto mais suicidas contabilizarem em suas fichas de trabalho.

Vão e recolham a farta colheita do nosso trabalho. Escuridão e trevas acompanham e protegem os caravaneiros, inimigos da Luz.

"Uma organização poderosa", em 20/11/2007


Legiões de espíritos malignos arrastam-se sobre a Terra

Vidência: Aproximou-se do GESJ um grupo de espíritos que trabalham como mercenários no plano astral, ou seja, oferecem seus serviços mediante pagamento, tanto quanto os matadores profissionais do plano físico. Eles estavam acompanhados de espíritos dementados, sem vontade própria, sem controle da mente. Cercaram o prédio e mantinham uma atitude desafiadora e de provocação com os Trabalhadores da Luz que mantêm a vigilância. Em seguida, recebi a comunicação:

Irmãos!

Legiões arrastam-se sobre a Terra, levando a desordem, o medo, a incompreensão.

Decorre, de suas presenças, intensa perturbação nas pessoas, porquanto, a condição de encarnadas, coloca-as visíveis. Vocês, não podendo enxergar o inimigo, ficam vulneráveis aos seus ataques, embora não possam tocá-los.

Com a mente centrada nos "valores sublimes", propagados pelo Evangelho, saberão desvencilhar-se das armadilhas perigosas dos inimigos da Luz às quais estão expostos.

Paz e bondade nos seus corações

Rochester, em 08/01/2008


Legião é o que somos

Após a comunicação do conde Rochester, um ser do grupo atacante manifestou-se com a seguinte mensagem:

Legião é o que somos.

Agora somos mais fortes e muito mais do que quando o Cordeiro esteve aqui.

Ele não pode mais conosco. Crescemos e nos tornamos fortes. Enquanto isso, vocês não chegaram a ser como Ele. Portanto, ainda mais fracos são. Não podem conosco.

Somos fortes, poderosos. Somos muitos e varreremos vossas últimas esperanças de paz.

Mães contra filhos.

Pais contra filhos e filhos contra pais.

Irmãos contra irmãos.

Homens contra homens.

Nações contra nações.

Faremos tudo para separá-los e enfraquecê-los.

Famílias já não existiam. Menos ainda haverão.

Dispersas, as presas se tornam reles insetos, prontos para serem abatidos.

Nada, poderão contra nós. Rendam-se enquanto há tempo.

Legião é nosso nome e desta vez ninguém nos expulsará. (Obs: Lembram-se de Jesus e a legião?)

Dominaremos os fracos, dominaremos a Terra.

Legião, em 08/01/2008


Mantende-vos fiéis ao Cristo

Irmãos, eu vos saúdo em nome da Luz.

Quando a "Ronda da Besta" aproxima-se perigosamente de vós, sois envolvidos pelas Hostes de Luz que vos guiam em faixa protetora de vibrações de altíssima freqüência, tornando-vos inacessíveis à "Fera e sua ronda maligna", mas também, interferindo em nossas comunicações, direcionadas ao Grupo.

Vossos corpos encontram-se nos "limites do território e domínio da Grande Fera" e todo cuidado é pouco. Estais sob severa vigilância de Instrutores e Guias Superiores e sois credenciadas para a tarefa. Caso não houvesse permissão, ali não estaríeis.

Lutas acerbas são travadas nas regiões abismais, confrontos violentos da Luz contra as Trevas e zelamos por vossa integridade física, psíquica e espiritual.

Portanto, mantende-vos fieis ao Cristo e segui trabalhando em Seu nome.

Em nome de Jesus, despedimo-nos. Com amor.

Shama Hare, em 02/11/2007

 


4° Tema – Mensagens diversas

Portas Fechadas

Irmãos e amigos!

Por preconceito e soberba, muitos seres desencarnados não têm encontrado abrigo em algumas Casas Espíritas.

São negros, índios, caboclos, filhos e filhas de santo arrependidos das práticas que prejudicam o próximo. Mulheres com vestes rasgadas, prostitutas, cujos vícios no astral e no físico fizeram-nas desviar do caminho de ascensão espiritual.

Portas fechadas. Mensagens de aviso: Aqui somente seguidores de Jesus.

Como seguir sem conhecê-l’O? Como conhecê-l’O sem experimentar Sua Presença, na tolerância e amor alheios?

Irmãos, por piedade, aceitai os pequeninos e fracos. Preparai-vos para acolhê-los e orientar seus passos na direção do Sublime Nazareno.

Sois o exemplo dos fiéis nos pensamentos, nas palavras e nas ações. É o Cristo que suplica por vós. Espíritas, despertai!

Não tenhais medo de sujar as mãos na lama que recobre o corpo dos que se atrasam nos charcos do astral inferior.

Mais suja se torna a alma daqueles que, tendo as condições de socorrer os necessitados, recusam-se a fazê-lo.

Reflitamos um momento no que ensina o próprio Mestre: Fazei ao próximo como gostaria que vos fizessem.

Que a paz, a bondade e a harmonia renasçam em vossos corações!

Jesus sempre conosco.

Joana de Angelis, em 01/01/2008

Após a mensagem da venerável Joana, vi, no grupo de pessoas que chegaram, alguns que se destacavam porque suas mentes estavam agitadas.

Tive autorização para captar algumas palavras que eles, mentalmente, diziam e passo a reproduzi-las:

Uma Mulher: "A médium me viu, podia me ajudar, mas sentiu asco, pude ver e recebi as vibrações do nojo que vieram dela. Errei, mas já penei por muitos anos. Agora quero melhorar. São pessoas que fazem uma Casa de Caridade, se as pessoas se fecham, a Casa estará fechada.

Havia ressentimento, mágoa e sofrimento nas palavras da mulher.

Um homem mais velho pensava: É isso mesmo. Querem "espíritos elevados" para ensinarem o que precisam, mas não querem fazer esforço. Egoístas! Não passam de egoístas em busca de salvação, sem para isso darem nada de si.

Esse homem vibrava muito ódio devido à oportunidade de ajuda negada por seres encarnados,trabalhadores de uma Casa Espírita de Caridade.

Outro homem mais novo pediu-me: "Diga a eles, mesmo que não acreditem, que mudem. Diga-lhes quem somos, de onde viemos e o que precisamos..."

Após, Joana de Angelis continuou:

A preocupação em aumentar o contingente de seareiros é maior do que a preocupação em aprender as lições do Mestre Kardec. Em nome do aumento dos seguidores da Doutrina bendita, desprezam-se os conhecimentos capazes de impulsionar os espíritos de um a outro degrau da escala evolutiva.

Sacrifício e renúncia estão sendo evitados em nome da boa convivência e acréscimo de trabalhadores.

Alertamos a todos que desta mensagem tomarem conhecimento: a doutrina kardecista não nos foi dada como propriedade a manipular segundo as conveniências sociais da Terra. É doutrina luminosa, sem limites e sem fronteiras, a serviço da humanidade.

Erram aqueles que não a estudam profundamente, fazendo-lhe de mera bengala ou moeda de barganha para aqueles que, tomados pelo medo, recorrem às tábuas de salvação.

Espíritas, modificai os métodos de trabalho aos quais vindes aplicando a Doutrina Consoladora e colocai-a a serviço de todos que necessitam evoluir.

Joana de Angelis, em 01/01/2008


Os famintos vos cercam

Vidência: Vi um grupo de seres chegando. Parece que vem junto com caravaneiros que acabam de chegar de uma excursão aos charcos da Terra. Estão esfarrapados, sujos e cansados. A julgar pela situação e aparência, eu diria que foi longa e penosa a jornada. Logo após, veio a comunicação:

Os famintos vos cercam. Muitos vêm com fome de alimento, rotos e cansados. Peregrinam no astral em busca de abrigo e paz. Outros buscam o alimento do espírito e chegam atraídos pela Luz, cansados das lutas infindas que perduram após a morte. Buscam, enfim, um norte, que lhes dê fim ao sofrimento.

Pequenina e muito simples, a Casa Espírita abriga a todos que a procuram, não devendo nunca, jamais, recusar-se a fazê-lo. Maria, quando bateu em várias hospedarias, somente numa estrebaria encontrou abrigo e, não mais do que isso foi preciso para o céu abrir-se em Luz, enviando para a Terra o Mestre Amado, Jesus.

Sede simples, humildes e mansos, essa foi Sua lição. Mantende a cabeça erguida e o amor no coração.

Poucos seres neste orbe conservam em seu íntimo a presença do Mestre Amigo e, a cada ano que passa, Suas Sublimes Lições ficam mais e mais esquecidas, sob os presentes perecíveis.

Aqueles que não forem cegos e perseverarem no caminho, poderão até o fim, enxergarem as diretrizes, fazendo da própria vida, um presente para toda gente. Eis o que deseja o Mestre, mais que homenagens vazias, que cada um de Seus irmãos faça reviver Suas mensagens de amor e justiça.

Paz e fraternidade

Fernando do Ó, em 01/01/2008


Lembram-se do Dino, o ex-reptiliano?

Vejo um dragão alado e seu olhar é bem diferente de um animal. Lembrou-me alguém conhecido. Então, perguntei: Dino? É você?

Sim. - Ele me respondeu. Solicitei uma nova forma. Supliquei às Forças do Bem que me permitissem recomeçar, pois não desejava permanecer na inércia, apenas me escondendo e sofrendo ataques. Agora, desejo ativamente lutar, enquanto aguardo o exílio. Sei que sairei deste planeta, para outro destino que ignoro. Não importa. No momento, algo novo ocorre dentro de mim. Tenho sentimentos que não sei definir. Pessoas humanas que recordo e sinto necessidade de vê-las; é quase uma dor física que não sei explicar. Não sei quem são, mas sinto falta de suas presenças.

Supliquei à Força Maior, que me mantém vivo, se para apressar minha transformação eu poderia lutar com o Exército que me salvou e obtive o consentimento.

Agora acompanho os Guerreiros da Luz em atividades de guerra. Afinal, sou um soldado e lutar é minha profissão! Muitos lugares por onde andei, reconheço-os e ajudo aos irmãos que agora possuo, identificando regiões, caminhos e atalhos. Faço pouco, somente o que está ao meu alcance, eu que sou um aprendiz ainda tão ignorante.

Enquanto as Forças da Luz permitirem, estarei lutando do lado oposto da fronteira onde sempre estive. Hoje, do lado da Luz contra as Trevas.

Agora mesmo, não sei como isso aconteceu. Pensei em vocês e meus pensamentos foram ouvidos.

Obrigado, Jesus. Este Nome está eternizado no meu coração.

Sou Dino, o dinossauro reptiliano que, arrependido, reconhece-se falido e deseja, à custa de sacrifício e dor, retornar à forma humana.

Jesus é o espelho no qual hei de mirar-me sempre. É o Ser que me guia na escuridão em direção à Luz.

Obrigado, Jesus.

Não desejo atropelar a Lei da Evolução ou qualquer outra Lei. Desejo apenas, novamente, ser homem.

Dino, em 04/01/2008


Estaremos sempre divulgando, através dos meios disponíveis ao nosso alcance, mais esclarecimentos a respeito de nossos Irmãos Maiores de outros planetas e do Interior da Terra. Estas informações são de domínio público e podem ser copiadas, no todo ou em parte sem prévia autorização, para distribuição gratuita e desde que não seja alterado o sentido. Fica também autorizada sua tradução para qualquer idioma, para o que solicitamos apenas o envio de uma cópia para nossos arquivos e posterior divulgação. É proibida a comercialização destas informações.

Nossas obras: Pétalas de Luz; Os Extraterrestres e Nós, Vols. I e II; Cidades Intraterrenas – O Despertar da Humanidade em conjunto com a 2ª edição de Os Intraterrestres de Stelta e Missão Submarina Extraterrestre, Os Decaídos e Sua Trajetória Terrestre, Vol. I e II e Mãos Súplices por Socorro – Nos bastidores visíveis e invisíveis dos presídios.

Leia nossas obras. Novos conhecimentos transbordam. Parar, pensar, mudar.

Endereço para correspondência e para assistir reunião: Rua Hermes Curry Carneiro, 215, Ilha de Monte Belo, Vitória/ES. CEP: 29.053-221. Dia e hora: Terças-feiras às 14h e quintas-feiras às 19:30 h.




RETORNAR ÀS MENSAGENS E DIVULGAÇÕES
ENTRE EM CONTATO CONOSCO AGORA MESMO!
Todos os direitos reservados ao Grupo Espírita Servos de Jesus | 2017
FBrandão Agência Web